Trip hop

Trip hop
Origens estilísticas Hip hop
R&B
Downtempo
Acid Jazz
House
Alternative Dance
Rock Psicodélico
Reggae
Contexto cultural 1990s Bristol, Reino Unido
Instrumentos típicos Teclados (especialmente Rhodes), Toca-Discos, samplers, metais, Instrumento de cordas
Popularidade Alta nos meios undergrounds, principalmente da Europa Ocidental e América do Norte
Subgêneros
Illbient - Post Trip Hop
Gêneros de fusão
Trip rock
Formas regionais
Bristol
Outros tópicos
Breakbeat

Trip Hop foi o nome usado pela revista britânica Mixmag nos anos 90 para definir o álbum Maxinquaye, do artista Tricky. Apesar de somente neste momento o gênero ganhasse uma denominação, a história do Trip Hop já vinha sendo construída desde meados dos anos 80. [1]

Basicamente, o Trip Hop (também chamado de "música de Bristol", em referência à cidade da Inglaterra, onde o gênero surgiu) é música eletrônica em downtempo (lenta), marcada por downbeats (batidas desaceleradas, menos de 120 bpm) e pelo uso de instrumentos convencionais e acústicos, sendo essa uma característica importante, que acaba personalizando cada grupo e/ou artista. No Trip Hop, as semelhanças dentro do gênero são poucas.

É uma música lenta, influenciada pelo Hip Hop no uso do scratch e das vozes, pela house, no uso dos boucles de frases musicais.

Entre os estilos que mais influenciaram o Trip Hop, estão: ambient, jazz, electropop, acid jazz, progressive rock, soul, funk, underground, reggae, dub e o uptempo (como o trance e drum n' bass)

Origem

A história do Trip-Hop, assim como toda a música eletrônica, está ligada ao house, estilo que surgiu no começo da década de 80, quando diversos músicos dos EUA (especificamente de Chicago, Nova York e Detroit) resolveram refazer eletronicamente a música disco dos anos 70, fundindo com r&b, funk e soul, dando origem ao house.

Durante a década de 80, ocorreram várias experimentações do house, que acabou se segmentando em diversos estilos, como o trance, o techno e o drum n' bass.

O Trip-Hop surge quando alguns músicos resolvem que a música eletrônica não deve ser necessariamente upbeat (que fora usado até então), e passaram a criar em downbeat. Isso foi na Inglaterra, onde, na cidade de Bristol, um grupo chamado The Wild Bunch passou a criar sob essas diretrizes, dando origem ao Trip-Hop (ainda que o termo fosse surgir somente na década de 90). No final dos anos 80 o grupo se dissolve e alguns membros passam a formar o Massive Attack.

Em 1991, a banda Massive Attack lançou o álbum Blue Lines, e, em 1994 a Portishead lançou Dummy, consagrando, enfim, o Trip Hop como estilo. Muitas outras bandas já existentes poderiam ser consideradas como Trip Hop pela semelhança do estilo, como Cocteau Twins.

En otros idiomas
беларуская (тарашкевіца)‎: Трып-гоп
български: Трип-хоп
català: Trip hop
čeština: Trip hop
dansk: Trip hop
Deutsch: Trip-Hop
Ελληνικά: Τριπ χοπ
English: Trip hop
español: Trip hop
فارسی: تریپ هاپ
suomi: Trip hop
français: Trip hop
עברית: טריפ הופ
hrvatski: Trip hop
Հայերեն: Թրիփ֊հոփ
íslenska: Trip hop
italiano: Trip hop
ქართული: ტრიპ-ჰოპი
한국어: 트립합
Lëtzebuergesch: Trip-Hop
lumbaart: Trip hop
lietuvių: Trip-hop
latviešu: Triphops
Nederlands: Triphop
norsk: Trip hop
polski: Trip hop
русский: Трип-хоп
sicilianu: Trip Hop
Scots: Trip hop
Simple English: Trip hop
slovenčina: Trip-hop
slovenščina: Trip hop
српски / srpski: Трип хоп
svenska: Triphop
Türkçe: Trip hop
українська: Тріп-хоп
中文: 神遊舞曲