Timarco

Timarco
CidadaniaAtenas
Ocupaçãopolítico

Timarco foi um orador e estadista Ateniense, aliado a Demóstenes. Viveu no século IV AC

Em 345 a.C., Demóstenes e Timarco acusaram Ésquines de ter sido corrompido por Filipe[1]. Através de brilhante oratória, no discurso Contra Timarco, Ésquines contra-argumentou que Timarco não tinha direito a voz devido à sua depravação, por ter sido o eromenos de muitos homens na cidade portuária de Pireu quando jovem. O argumento foi aceito e Timarco perdeu seus direitos cívicos[2] (atimia).

Demóstenes afirma que essa condenação destruiu a carreira política de Timarco. Esse comentário é interpretado por Pseudo-Plutarco na obra As Vidas de Dez Oradores como indicação que Timarco teria se suicidado. Essa interpretação é contestada por alguns historiadores [3]

Em alguns círculos, seu nome passou a adjetivar devassidão, por exemplo, fulano é um Timarco.

Referências

  1. CASTETS (1875). Eschine, l'Orateur (em francês) 1 ed. [S.l.: s.n.] 
  2. SHAFER, A. (1856-1858). Demosth. und seine Zeit (em inglês). III. Traduzido por A.Holm. Tradução inglesa de 1896. Leipzig: [s.n.] 
  3. FISHER, Nick (2001). Aeschines: Against Timarchos. 71. [S.l.]: Oxford University Press. p. 22 
En otros idiomas