The Band

The Band
The Band em 1969. Da esq. para a dir.: Manuel, Hudson, Helm, Robertson e Danko
Informação geral
OrigemToronto, Ontário
PaísCanadá
Gênero(s)
Período em atividade1967–1976
1983–1999
Gravadora(s)Capitol Records
Rhino Records
Warner Bros. Records
Afiliação(ões)Ronnie Hawkins
Bob Dylan
John Simon
Allen Toussaint
Ex-integrantesRobbie Robertson
Rick Danko
Levon Helm
Garth Hudson
Richard Manuel
Stan Szelest
Jim Weider
Randy Ciarlante
Richard Bell

The Band foi um conjunto de rock ativo de 1967 a 1976 e de 1983 a 1999. O grupo original era formado por quatro canadenses, Robbie Robertson (guitarra, piano, vocais), Richard Manuel (piano, gaita, bateria, saxofone, órgão, vocais), Garth Hudson (órgão, piano, clavinete, acordeão, sintetizador, saxofone) e Rick Danko (baixo, violino, trombone, vocais)—e um estadunidense, Levon Helm (bateria, bandolim, guitarra, baixo, vocais).

Os integrantes do The Band reuniram-se originalmente como músicos do The Hawks, banda de apoio do cantor de rockabilly Ronnie Hawkins, entre 1958 e 1963. Ao separarem-se de Hawkins em 1964, adotaram o nome The Levon Helm Sextet (sendo o sexto integrante o saxofonista Jerry Penfound), e posteriormente Levon and the Hawks (sem Penfound). Em 1965, lançaram um single pela Ware Records sob o nome Canadian Squires, retornando como Levon and the Hawks para uma sessão de gravação para a Atco no final de 65. Na mesma época, Bob Dylan recrutou Helm e Robertson para dois shows, e então a banda completa para uma turnê pelos Estados Unidos em 1965 e uma turnê mundial em 1966.[1] Eles também juntaram-se a Dylan para uma série de gravações informais que mais tarde seriam conhecidas como The Basement Tapes.

Por ser sempre "a banda" de vários cantores, Helm declarou que o nome "The Band" funcionou bem quando o grupo decidiu seguir carreira própria, deixando a cidade de Saugerties, em Nova York, para começar a trabalhar em seu próprio material.[2] Eles gravaram dois dos mais aclamados álbuns do final da década de 1960: seu disco de estréia Music from Big Pink de 1968 e The Band, de 1969. O grupo separou-se em 1976, reunindo-se novamente em 1983 sem o guitarrista Robertson.

Embora mais populares entre jornalistas e músicos do que entre o público em geral, o The Band permaneceu como um dos grupos mais admirados e influentes de sua época. Eles foram incluídos no Hall da Fama da Música Canadense em 1989[3] e no Hall da Fama do Rock and Roll em 1994.[4] Em 2004, a revista Rolling Stone listou-os na 50ª posição entre os "100 Maiores Artistas de Todos os Tempos",[5] e em 2008 o grupo foi premiado com um Grammy pelo conjunto da obra.[6]

Perspectiva geral

Ao vivo em Hamburgo, 1971. Da esq. para a dir.: Manuel, Danko, Robertson e Helm

A música do The Band fundia vários elementos: a princípio country music antiga e rock and roll do começo do gênero, embora a seção rítmica frequentemente trouxesse reminiscências da Stax ou da Motown, com Robertson citando Curtis Mayfield e os Staple Singers como influências primordiais, resultando numa síntese de diversos estilos musicais. Quanto às composições do grupo, algumas poucas de seu princípio eram baseadas em mudanças de acordes do blues convencional e do doo-wop.

Cada integrante era multi-instrumentista. Em concerto a banda pouco trocava seus instrumentos, mas no estúdio eles podiam inventar diferentes configurações em sua formação conforme o mais adequado para cada canção. Hudson em particular era capaz de surgir com uma variada gama de timbres em seu órgão Lowrey eletrônico; no refrão de "Tears of Rage", por exemplo, seu som se parece com o de um mellotron. A técnica de bateria de Helm era frequentemente elogiada; tornou-se célebre a declaração do crítico musical Jon Carrol de que Helm era o "único baterista capaz de fazer você chorar", enquanto o prolífico músico de sessão Jim Keltner reconhecia ter se apropriado de diversas técnicas dele.

Os vocalistas Manuel, Danko e Helm proporcionavam individualmente uma voz distinta ao The Band; a voz sulista de Helm trazia uma pitada de country, Danko atuava como tenor e Manuel alternava entre falsetto e barítono. Os três regularmente combinavam suas vozes, e embora contribuíssem de forma mais ou menos igualitária, tanto Danko quanto Helm declararam que viam Manuel como o vocalista "fundamental" do grupo.

Robertson cantou em apenas três canções de estúdio lançadas pelo The Band ("To Kingdom Come", "Knockin' Lost John" e "Out Of The Blue"), atuando por outro lado como o principal compositor. Este papel, e o fato de Robertson reclamar para si os direitos autorais da maioria das composições da banda, seria posteriormente o epicentro de um grande antagonismo, especialmente direcionado de Helm a Robertson. Em sua autobiografia This Wheel's on Fire – Levon Helm and the Story of The Band, o baterista chega a colocar em questão a validade do papel do guitarrista como compositor chefe, pois as canções do grupo eram frequentemente trabalhadas e gravadas através da colaboração entre todos os integrantes. A tensão aumentou nos anos 80, quando grande parte dos royalties das composições era entregue a Robertson, enquanto os outros precisavam continuar excursionando para manter uma fonte de renda.

O produtor John Simon é citado como o "sexto integrante" do grupo por ter produzido e tocado em Music from Big Pink, co-produzido e tocado em The Band e ter participado de diversas canções no álbum de reunião Jericho, de 1993.[2]

En otros idiomas
български: Бенд (група)
čeština: The Band
dansk: The Band
Deutsch: The Band
English: The Band
español: The Band
فارسی: د بند
suomi: The Band
galego: The Band
עברית: הבנד
magyar: The Band
italiano: The Band
日本語: ザ・バンド
ქართული: The Band
한국어: 더 밴드
Nederlands: The Band
norsk nynorsk: The Band
norsk: The Band
polski: The Band
русский: The Band
srpskohrvatski / српскохрватски: The Band
Simple English: The Band
slovenčina: The Band
slovenščina: The Band
svenska: The Band
Türkçe: The Band
українська: The Band
Tiếng Việt: The Band