Super Size Me

  • question book-4.svg
    esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde janeiro de 2017). por favor, insira mais referências no texto. material sem fontes poderá ser acadêmico)
    wikitext.svg
    esta página ou seção precisa ser wikificada (desde abril de 2013).
    por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
    super size me
    super size me.jpg
    super size me: 30 dias de fast food (pt)
    super size me: a dieta do palhaço (br)
     estados unidos
    2004 •  cor •  98 min 
    direção morgan spurlock
    produção morgan spurlock
    roteiro morgan spurlock
    elenco morgan spurlock
    alexandra jamieson
    gênero documentário
    cinematografia scott ambrozy
    edição julie "bob" lombardi
    companhia(s) produtora(s) the con
    distribuição estados unidos samuel goldwyn films
    roadside attractions

    brasil imagem filmes

    lançamento 7 de maio de 2004
    idioma inglês
    orçamento us$ 65.000[1]
    receita us$ 22.233.808[2]
    página no imdb (em inglês)

    super size me (br: super size me - a dieta do palhaço / pt: super size me - 30 dias de fast food) é um documentário estadunidense de 2004, escrito, produzido, dirigido e protagonizado por morgan spurlock, cineasta independente dos estados unidos da américa.

    no filme, spurlock segue uma dieta de 30 dias (fevereiro de 2003) durante os quais sobrevive se alimentando exclusivamente em restaurantes mcdonald's. o filme documenta os efeitos que este estilo de vida pode ter na saúde física e psicológica de um ser humano, e explora a influência da indústria do fast-food.

    durante a gravação, spurlock comia nos restaurantes mcdonald's três vezes ao dia, chegando a consumir em média 5000 kcal (o equivalente de 6,26 big macs) por dia.

    antes do início deste experimento spurlock comia uma dieta variada. tentara ser saudável e magro, media 188 cm de altura e pesava 84,1 kg. depois de trinta dias, obteve um ganho de 11,1 kg, 1,1% de aumento da massa corporal, elevando seu imc de 23,2 (dentro da faixa "saudável") a 27 ("sobrepeso"). ele experimentou mudanças de humor, disfunção sexual, e dano ao fígado. spurlock precisou de nove meses para perder o peso que havia ganhado.

    o fator que motivou spurlock a fazer a investigação foi a crescente expansão da obesidade em todos os estados unidos da américa, considerada uma "epidemia", e a correspondente demanda judicial contra o mcdonald's em nome de duas meninas com sobrepeso, que alegaram que se converteram em obesas como resultado de comer alimentos da rede de fast-food. spurlock disse que apesar do processo contra mcdonald's ter falhado, grande parte da crítica contra as companhias de tabaco também se aplica às franquias de comida rápida. embora se podia argumentar que a comida rápida, ainda seja psicologicamente viciante,[3][4] não é tão viciante como nicotina.

    o filme foca no mc donald's como um dos representantes da indústria alimentar estadunidense, que criou tamanhos exagerados de porções e que sempre que possível induz ao consumo de mais e maiores porções, fazendo com que a população consuma muito além do necessário para uma alimentação saudável.

    o documentário foi nomeado para um oscar na categoria de melhor documentário longa-metragem.

    a medida que o filme começa, spurlock está fisicamente acima da media, como é demonstrado por três médicos (um cardiologista, um gastroenterologista, e um clínico geral), assim como uma nutricionista e um preparador físico. ele é orientado pelos cinco para realizar a avaliação da sua saúde durante o mês do experimento. todos os profissionais da saúde predizem que o "mc mess" terá efeitos indesejáveis sobre seu corpo, porém ninguém esperava nada demasiado drástico, citando que o corpo humano é "extremamente adaptável".

    spurlock começa o mês com um café da manhã perto de sua casa em manhattan, onde há em média quatro mcdonald's (e 66.950 habitantes) por milha quadrada (1,6 km ²). também opta por viajar em taxis com maior frequência, já que pretende manter as distâncias que caminha em linha com os 5000 passos (aproximadamente duas milhas) que por dia caminhava a média dos estadunidenses. spurlock têm várias regras que regem seus hábitos alimentares:

    • deve realizar três refeições em mcdonald's por dia.
    • deverá escolher cada item no menu do mcdonald's ao menos uma vez durante o transcurso dos 30 dias (fez em nove dias)
    • deve ingerir só os itens do menu. isto inclui a água engarrafada.
    • deve escolher o tamanho "super size" de sua comida sempre que lhe for oferecido.
    • deve aceitar todas as promoções oferecidas para que ele compre mais comida do que inicialmente planejado.
    • terá de caminhar a média que se caminha nos estados unidos, aproximadamente 5000 passos ao dia,[5] porém isto não era rígido já que essa métrica varia de acordo com a região do país.

    no segundo dia spurlock come pela primeira vez o tamanho super size, que leva cerca de uma hora para comer. a experiência foi o aumento de seu estomago durante o processo, que culmina com spurlock vomitando no caminho de volta para casa.

    depois de cinco dias spurlock havia ganhado quase 10 libras (4,5 kg). não passa muito tempo antes de que se encontre a si mesmo com uma sensação de depressão, e ele considera que seus episódios de depressão, letargia e dores de cabeça são causadas pela comida do mcdonald's. um médico descreveu-o como "viciado".

    a noiva de spurlock, alexandra jamieson, é um testemunha para o fato de spurlock ter perdido muita da sua energia e desempenho sexual durante a sua experiência. não esta claro se spurlock seria capaz de completar o mês completo devido ao elevados teores de gordura e carboidrato de sua dieta; seus amigos e família começaram a preocupar-se.

    próximo do vigésimo dia, spurlock havia sentido estranhas palpitações no coração. consulta seu médico particular, o doutor daryl isaacs lhe aconselha parar o que está fazendo de imediato para evitar qualquer tipo de graves problemas de saúde. apesar desta advertência, spurlock decide continuar com o teste. mais tarde declarou em uma entrevista que, apesar das preocupações e objeções da maior parte das pessoas próximas a ele, era seu irmão mais velho que o motivou a continuar com sua observação, "morgan, a gente comeu esta merda toda sempre. acha mesmo que vai te matar se você comer os outros 9 dias?"

    spurlock chega ao trigésimo dia e atinge o seu objectivo. em trinta dias, spurlock comeu o tamanho "super size" em sua refeição em nove ocasiões ao longo do caminho (dos quais cinco foram no texas). os três médicos ficaram surpresos com o grau de deterioração da saúde de spurlock. um deles afirmou que era irreversível o dano causado ao seu fígado, que pode sofrer, além disso, um ataque ao coração, mesmo perdendo todo o peso ganho durante o experimento. ele disse que nesse período comeu mais refeições no mcdonald's do que um nutricionista recomenda comer em 8 anos.

    referências

  • ligações externas

Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde janeiro de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser acadêmico)
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde abril de 2013).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Super Size Me
Super Size Me.jpg
Super Size Me: 30 Dias de Fast Food (PT)
Super Size Me: A Dieta do Palhaço (BR)
 Estados Unidos
2004 •  cor •  98 min 
Direção Morgan Spurlock
Produção Morgan Spurlock
Roteiro Morgan Spurlock
Elenco Morgan Spurlock
Alexandra Jamieson
Gênero Documentário
Cinematografia Scott Ambrozy
Edição Julie "Bob" Lombardi
Companhia(s) produtora(s) The Con
Distribuição Estados Unidos Samuel Goldwyn Films
Roadside Attractions

Brasil Imagem Filmes

Lançamento 7 de Maio de 2004
Idioma Inglês
Orçamento US$ 65.000[1]
Receita US$ 22.233.808[2]
Página no IMDb (em inglês)

Super Size Me (br: Super Size Me - A dieta do palhaço / pt: Super Size Me - 30 dias de fast food) é um documentário estadunidense de 2004, escrito, produzido, dirigido e protagonizado por Morgan Spurlock, cineasta independente dos Estados Unidos da América.

No filme, Spurlock segue uma dieta de 30 dias (fevereiro de 2003) durante os quais sobrevive se alimentando exclusivamente em restaurantes McDonald's. O filme documenta os efeitos que este estilo de vida pode ter na saúde física e psicológica de um ser humano, e explora a influência da indústria do fast-food.

Durante a gravação, Spurlock comia nos restaurantes McDonald's três vezes ao dia, chegando a consumir em média 5000 kcal (o equivalente de 6,26 Big Macs) por dia.

Antes do início deste experimento Spurlock comia uma dieta variada. Tentara ser saudável e magro, media 188 cm de altura e pesava 84,1 kg. Depois de trinta dias, obteve um ganho de 11,1 kg, 1,1% de aumento da massa corporal, elevando seu IMC de 23,2 (dentro da faixa "saudável") a 27 ("sobrepeso"). Ele experimentou mudanças de humor, disfunção sexual, e dano ao fígado. Spurlock precisou de nove meses para perder o peso que havia ganhado.

O fator que motivou Spurlock a fazer a investigação foi a crescente expansão da obesidade em todos os Estados Unidos da América, considerada uma "epidemia", e a correspondente demanda judicial contra o McDonald's em nome de duas meninas com sobrepeso, que alegaram que se converteram em obesas como resultado de comer alimentos da rede de fast-food. Spurlock disse que apesar do processo contra McDonald's ter falhado, grande parte da crítica contra as companhias de tabaco também se aplica às franquias de comida rápida. Embora se podia argumentar que a comida rápida, ainda seja psicologicamente viciante,[3][4] não é tão viciante como nicotina.

O filme foca no Mc Donald's como um dos representantes da indústria alimentar estadunidense, que criou tamanhos exagerados de porções e que sempre que possível induz ao consumo de mais e maiores porções, fazendo com que a população consuma muito além do necessário para uma alimentação saudável.

O documentário foi nomeado para um Oscar na categoria de melhor documentário longa-metragem.

A medida que o filme começa, Spurlock está fisicamente acima da media, como é demonstrado por três médicos (um cardiologista, um gastroenterologista, e um clínico geral), assim como uma nutricionista e um preparador físico. Ele é orientado pelos cinco para realizar a avaliação da sua saúde durante o mês do experimento. Todos os profissionais da saúde predizem que o "Mc Mess" terá efeitos indesejáveis sobre seu corpo, porém ninguém esperava nada demasiado drástico, citando que o corpo humano é "extremamente adaptável".

Spurlock começa o mês com um café da manhã perto de sua casa em Manhattan, onde há em média quatro McDonald's (e 66.950 habitantes) por milha quadrada (1,6 km ²). Também opta por viajar em taxis com maior frequência, já que pretende manter as distâncias que caminha em linha com os 5000 passos (aproximadamente duas milhas) que por dia caminhava a média dos estadunidenses. Spurlock têm várias regras que regem seus hábitos alimentares:

  • Deve realizar três refeições em McDonald's por dia.
  • Deverá escolher cada item no menu do McDonald's ao menos uma vez durante o transcurso dos 30 dias (fez em nove dias)
  • Deve ingerir só os itens do menu. Isto inclui a água engarrafada.
  • Deve escolher o tamanho "Super Size" de sua comida sempre que lhe for oferecido.
  • Deve aceitar todas as promoções oferecidas para que ele compre mais comida do que inicialmente planejado.
  • Terá de caminhar a média que se caminha nos Estados Unidos, aproximadamente 5000 passos ao dia,[5] porém isto não era rígido já que essa métrica varia de acordo com a região do país.

No segundo dia Spurlock come pela primeira vez o tamanho Super Size, que leva cerca de uma hora para comer. A experiência foi o aumento de seu estomago durante o processo, que culmina com Spurlock vomitando no caminho de volta para casa.

Depois de cinco dias Spurlock havia ganhado quase 10 libras (4,5 kg). Não passa muito tempo antes de que se encontre a si mesmo com uma sensação de depressão, e ele considera que seus episódios de depressão, letargia e dores de cabeça são causadas pela comida do McDonald's. Um médico descreveu-o como "viciado".

A noiva de Spurlock, Alexandra Jamieson, é um testemunha para o fato de Spurlock ter perdido muita da sua energia e desempenho sexual durante a sua experiência. Não esta claro se Spurlock seria capaz de completar o mês completo devido ao elevados teores de gordura e carboidrato de sua dieta; seus amigos e família começaram a preocupar-se.

Próximo do vigésimo dia, Spurlock havia sentido estranhas palpitações no coração. Consulta seu médico particular, o doutor Daryl Isaacs lhe aconselha parar o que está fazendo de imediato para evitar qualquer tipo de graves problemas de saúde. Apesar desta advertência, Spurlock decide continuar com o teste. Mais tarde declarou em uma entrevista que, apesar das preocupações e objeções da maior parte das pessoas próximas a ele, era seu irmão mais velho que o motivou a continuar com sua observação, "Morgan, a gente comeu esta merda toda sempre. Acha mesmo que vai te matar se você comer os outros 9 dias?"

Spurlock chega ao trigésimo dia e atinge o seu objectivo. Em trinta dias, Spurlock comeu o tamanho "Super Size" em sua refeição em nove ocasiões ao longo do caminho (dos quais cinco foram no Texas). Os três médicos ficaram surpresos com o grau de deterioração da saúde de Spurlock. Um deles afirmou que era irreversível o dano causado ao seu fígado, que pode sofrer, além disso, um ataque ao coração, mesmo perdendo todo o peso ganho durante o experimento. Ele disse que nesse período comeu mais refeições no McDonald's do que um nutricionista recomenda comer em 8 anos.

Referências

  1. http://www.thefilmjournal.com/issue9/supersizeme.html
  2. http://www.the-numbers.com/movie/Super-Size-Me
  3. Breaking the Food Seduction: The Hidden Reasons Behind Food Cravings and Seven Steps to End Them Naturally by Neal Barnard, M.D., St. Martin’s Press (junho 2003)
  4. «Fast food is addictive in same way as drugs, say scientists»  Texto " Independent, The (London) " ignorado (ajuda); Texto " Find Articles at BNET " ignorado (ajuda)
  5. Figure supplied by Mark Fenton, former editor Walking Magazine, in scene from movie

En otros idiomas
Deutsch: Super Size Me
English: Super Size Me
español: Super Size Me
euskara: Super Size Me
føroyskt: Super Size Me
français: Super Size Me
hrvatski: Super veliki ja
Bahasa Indonesia: Super Size Me
italiano: Super Size Me
Nederlands: Super Size Me
Simple English: Super Size Me
svenska: Super Size Me