Sismo de Kermanshah de 2017

Gnome globe current event.svg
Este artigo ou seção se refere ou tem relação com um desastre recente ou atualmente em curso.
A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis. (Editado pela última vez em 1 de dezembro de 2017.)
FireIcon.svg
Sismo de Kermanshah de 2017
Destruição causada pelo sismo em Sarpol-e Zahab, no Irão.
Mapa com a localização e intensidade do sismo..
Magnitude 7,3 [1] MW
Tipo Cavalgamento [1]
Data 12 de Novembro de 2017 (2017-11-12)
Zonas atingidas Iraque, Irão
Vítimas 530 mortos [2]
8 100 feridos [3]

O sismo de Kermanshah de 2017 foi um sismo que ocorreu a 12 de novembro desse ano, às 21:18 (hora local), junto à fronteira Irão-Iraque, do lado iraquiano, na província do Curdistão.

Tremor

O epicentro foi a cerca de 30 quilómetros a sul-sudoeste da cidade de Halabja, no Iraque, com uma magnitude de momento de 7.3, [1] [4] e hipocentro a 25 quilómetros de profundidade. [5] Foi sentido no Iraque e Irão, e em locais tão distantes como os Emirados Árabes Unidos e Israel. [6] O sismo foi também sentido no Kuwait, com magnitudes variando de 4 a 5. [7] O sismo foi sentido nas capitais do Irão e do Iraque, Teerão e Bagdad, sem provocar danos. [8]

Edifício destruído na cidade de Sarpol-e Zahab

As zonas mais afectadas situam-se do lado iraniano, na privíncia de Kermanshah. Segundo a televisão do Irão, pelo menos oito aldeias fronteiriças foram devastadas. A electricidade foi cortada na área e muitas equipas de emergência dirigiram-se ao local. [8] A má qualidade das construções na região poderá ter contribuído para agravar a devastação. [9] Os padrões de construção de uma série de apartamentos recém-construídos que colapsaram, ou foram gravemente danificados, foram seriamente quastionados. O vice-presidente iraniano, Eshaq Jahangiri, afirmou que muitos desses apartamentos foram construídos no âmbito de um programa de habitação a custos reduzidos promovido pelo anterior presidente, Mahmoud Ahmadinejad. [2]

Segundo a agência noticiosa Irna, o sismo causou danos em 7 grandes cidades e 1950 localidades da província de Kermanshah. As autoridades dizem que doze mil habitações foram completamente destruídas, e outras quinze mil danificadas. [2]

No lado iraquiano, os maiores danos foram na cidade de Darbandikhan, a 75 quilómetros a leste de Sulaimaniyah, na região semiautónoma do Curdistão, ficando feridas mais de 30 pessoas naquela cidade. O principal hospital do distrito foi gravemente danificado, forçando a transferência dos feridos para outras cidades. [8] Na cidade de Kirkuk habitações ficaram danificadas, forçando os habitantes a abandoná-las. [7]

En otros idiomas