São Carlos

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja São Carlos (desambiguação).
Município de São Carlos
"Capital da Tecnologia"
"Sanca"
São Carlos (a partir de cima, esquerda): Catedral de São Carlos, UFSCar, P-47D Thunderbolt e Demoiselle 22 (do Museu TAM), Estação Ferroviária de São Carlos, Parque da Chaminé, Escola Álvaro Guião e um panorama da cidade.

São Carlos (a partir de cima, esquerda): Catedral de São Carlos, UFSCar, P-47D Thunderbolt e Demoiselle 22 (do Museu TAM), Estação Ferroviária de São Carlos, Parque da Chaminé, Escola Álvaro Guião e um panorama da cidade.
Bandeira de São Carlos
Brasão de São Carlos
BandeiraBrasão
Hino
Aniversário4 de novembro
Fundação4 de novembro de 1857 (160 anos)
Gentílicosão-carlense [1]
LemaA bandeirantibus venio
"Procedo dos bandeirantes"
Padroeiro(a)São Carlos
CEP13560-001 à 13577-999 e
13578-001 à 13579-999
Prefeito(a)Airton Garcia (PSB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de São Carlos
Localização de São Carlos em São Paulo
São Carlos está localizado em: Brasil
São Carlos
Localização de São Carlos no Brasil
22° 01' 04" S 47° 53' 27" O22° 01' 04" S 47° 53' 27" O
Unidade federativaSão Paulo
Região
intermediária

Araraquara IBGE/2017[2]

Região
imediata

São Carlos IBGE/2017[2]

Municípios limítrofesNorte: Rincão, Luís Antônio, Santa Lúcia
Sul: Ribeirão Bonito, Brotas, Itirapina
Leste: Descalvado, Analândia
Oeste: Ibaté, Araraquara, Américo Brasiliense
Distância até a capital230 km[3]
Características geográficas
Área1 136,907 km² [4]
DistritosSão Carlos (sede), Água Vermelha, Santa Eudóxia e Bela Vista São-carlense[5]
População249 415 hab. (SP: 31º) –  IBGE (2018)[6]
Densidade219,38 hab./km²
Altitude856 m
Climatropical de altitude Cwa
Fuso horárioUTC−3
Indicadores
IDH-M0,805 (SP: 18º) – muito elevado PNUD (2010)[7]
PIBR$ 9 796 013 mil IBGE (2014)[8]
PIB per capitaR$ 40 994 71 IBGE (2014)[8]
Página oficial
Prefeiturawww.saocarlos.sp.gov.br
Câmarawww.camarasaocarlos.sp.gov.br

São Carlos é um município brasileiro localizado no interior do estado de São Paulo, na região Centro-Leste, e a uma distância rodoviária de 230 quilômetros da capital paulista. Com uma população recenseada em 249 415 habitantes[6], distribuídos em uma área total de 1136,907 km², é a 13ª maior cidade do interior do estado em número de residentes.

A cidade é um importante centro regional industrial[9], com a economia fundamentada em atividades industriais e na agropecuária (neste setor, destaca-se a produção de cana-de-açúcar, laranja, leite e frango). Servida por sistemas rodoviário e ferroviário, São Carlos conta com uma unidade comercial da multinacional suíça Leica Geosystems[10] e com unidades de produção de algumas empresas multinacionais, dentre as quais a Volkswagen,[11] Faber-Castell (a subsidiária são-carlense é a maior do grupo em todo o mundo, produzindo 1,5 bilhão de lápis por ano),[12] Electrolux[13] Tecumseh,[14] Husqvarna,[15] LATAM MRO,[16] Serasa Experian[17] e Grupo Segurador BB-MAPFRE.[18] Algumas unidades de produção de empresas nacionais, dentre as quais Toalhas São Carlos,[19] Tapetes São Carlos,[20] Papel São Carlos,[21] Prominas Brasil,[22] Opto Eletrônica,[23] Latina,[24] Engemasa,[25] Apramed[26] e Piccin.[27]

Atendendo às necessidades locais e, em certos aspectos, regionais, há uma rede de comércio e serviços distribuída em lojas de rua, postos de conveniência e um shopping center da rede Iguatemi. No campo de pesquisas, além das universidades, estão presentes no município dois centros de desenvolvimento técnico da Embrapa. São Carlos é a primeira cidade da América do Sul em números de doutores por habitante, de acordo com um levantamento feito desde 2006 pela UFSCar. Ao todo, são 1,7 mil doutores em um município de 230 mil moradores, o que representa um doutor para cada 135 habitantes. No Brasil, a relação é de um doutor para cada 5423 habitantes.[28]

Os dois campi da Universidade de São Paulo (USP), a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Instituto Federal de São Paulo (IFSP) e a FATEC, além de uma instituição de ensino superior particular, o Centro Universitário Central Paulista (UNICEP), tornam intensa a atividade universitária no município, que conta com uma população flutuante de mais de vinte e nove mil graduandos e pós-graduandos,[29][30][31][32] boa parte atraída de outras cidades e estados.

História

Povos indígenas e caboclos

Conde do Pinhal, um dos fundadores de São Carlos.

Originalmente, o território era habitado por indígenas, provavelmente guaianases, os quais foram exterminados ou expulsos e são possivelmente os responsáveis pela introdução de pinhais de araucária na região.[33] Entretanto, existe também a hipótese de a espécie ser de ocorrência natural.[34] O território seria ocupado no século XIX por posseiros, pequenos proprietários de terra, então chamados "caboclos". Dentre estes, talvez o mais ilustre tenha sido um certo Gregório que, por volta de 1831, residia à beira de um riacho que corta a cidade e herdou seu nome, o córrego do Gregório.[33][35]

Sesmarias

O atual município engloba terras das antigas sesmarias do Pinhal, do Monjolinho e do Quilombo. A sesmaria do Pinhal, ao sul do município, originou-se de uma doação de terras, em 1781, ao cirurgião-mor do Regimento de Voluntários Reais de São Paulo, o qual as vendeu em 1786 a Carlos Bartholomeu de Arruda. No entanto, a sesmaria só seria demarcada em 1831, a pedido de seu filho, Carlos José Botelho, pai do futuro Conde do Pinhal.[33] Já as sesmarias do Monjolinho, ao noroeste, e do Quilombo, a leste, foram demarcadas em 1810 e 1812, respectivamente, a pedido de sucessores de Miguel Alberto de Vasconcelos e de Manuel Joaquim do Amaral Gurgel.[36][37]

Fundação

Casa do Pinhal, no sudeste do município.
Câmara de São Carlos em 1926.

Com a ocupação das sesmarias por grandes fazendeiros, que utilizavam mão-de-obra escrava, os antigos posseiros, com poucas condições de legalizar suas terras, foram expulsos ou absorvidos às novas propriedades.[33] Esses latifundiários, mais tarde, se autoidentificariam com o "espírito bandeirante", o que se reflete no lema da cidade, A bandeirantibus venio, idealizado pelo Visconde de Taunay. Apesar desta referência anacrônica ao bandeirantismo, a ocupação inicial da região por não índigenas foi feita, de fato, pelos posseiros acima referidos, e não por bandeirantes.[38]

São Carlos foi fundada na segunda metade da década de 1850, por iniciativas de Antônio Carlos de Arruda Botelho (Conde do Pinhal) e Jesuíno José Soares de Arruda,[39] localizada num caminho que levava às minas de ouro de Cuiabá e Goiás, saindo de Piracicaba. As povoações mais próximas neste caminho eram, à época, Rio Claro, na depressão periférica e, subindo as escarpas das encostas do planalto, Araraquara.[33]

Embora iniciada em 1856, a construção da capela foi oficialmente autorizada pelo bispo de São Paulo apenas em 4 de fevereiro de 1857.[40] No mesmo ano, em 6 de julho, foi criado o distrito de paz de São Carlos do Pinhal.[41] Em 1858, a capela foi elevada a freguesia.[42] Em março de 1865, desmembrando-se de Araraquara, a freguesia tornou-se vila (correspondente à atual divisão administrativa de município), com o nome de São Carlos do Pinhal.[43] Em setembro do mesmo ano foi empossada a Câmara Municipal.[33]

A data histórica atribuída a fundação é o dia 4 de novembro de 1857, dia de São Carlos Borromeu, padroeiro da cidade, ao qual foi dedicada uma capela que começou a ser erigida em 1856, solicitada por Jesuíno de Arruda, proprietário de terras na sesmaria do Pinhal. Inicialmente, sua construção foi planejada numa fazenda na sesmaria do Monjolinho porém, por rejeição de seu proprietário, João Alves de Oliveira, que temia que o povoado nascente distraísse seus escravos, a capela foi construída na sesmaria do Pinhal. São Carlos foi o santo escolhido por ser o nome predominante na família Botelho, desde suas origens em Portugal. Não há, entretanto, um consenso sobre a verdadeira data de fundação e o real fundador da cidade (Jesuíno de Arruda ou a família Botelho), pelo fato de o conceito de fundação variar de acordo com os vários critérios usados: erigir uma capela, doar um terreno para o patrimônio público, erigir as primeiras casas de telha, algum ato de desprendimento e benevolência dos poderosos da época, entre outros.[33]

No contexto estadual, uma circunstância talvez singular a São Carlos foi o fato de a fundação da cidade, o início do plantio de café e o declínio do regime escravista brasileiro terem coincidido.[44]

Em 1880, a vila foi elevada a cidade (à época, um título honorífico),[45][46] e foi criada também a comarca de São Carlos, instalada em 1882.[47][48] Sua denominação foi reduzida de "São Carlos do Pinhal" a "São Carlos" no ano de 1908.[49][50][51] O município é conhecido também pelo nome de "Cidade do Clima", devido ao clima seco e ameno. Hoje é conhecida como a "Capital da Tecnologia" ou simplesmente "Sanca".[52]

O atual território de São Carlos foi desmembrado sucessivamente dos municípios de São Paulo (1558-1625), Santana de Parnaíba (1625-1654), Nossa Senhora da Candelária de Itu (atual Itu, 1654-1822), Vila Nova da Constituição (atual Piracicaba, 1822-1833) e São Bento de Araraquara (atual Araraquara, 1833-1865). Ao longo do século XIX, as divisas do município passaram por diversas mudanças.[53] Em 30 de dezembro de 1953, Ibaté foi desmembrado do município.[54]

En otros idiomas
العربية: ساو كارلوس
বিষ্ণুপ্রিয়া মণিপুরী: সাও কার্লোস
Deutsch: São Carlos
English: São Carlos
español: São Carlos
français: São Carlos
galego: São Carlos
hrvatski: São Carlos
한국어: 상카를루스
Nederlands: São Carlos (stad)
polski: São Carlos
română: São Carlos
srpskohrvatski / српскохрватски: São Carlos
Simple English: São Carlos
svenska: São Carlos
Türkçe: São Carlos
Tiếng Việt: São Carlos, São Paulo
Winaray: São Carlos