Rock instrumental

Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2009). Por favor, referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde janeiro de 2011). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e a coerência e o rigor deste artigo.
Rock instrumental
Origens estilísticas
Contexto cultural1950s e 1960s Estados Unidos
Instrumentos típicosGuitarra eléctrica, baixo, bateria
PopularidadeMais popular no final de 1950s e início dos 1960s
Subgêneros
Surf rock - post-rock

Rock Instrumental é a música de rock & roll que ganhou força no fim dos anos de 1950 nos Estados Unidos, caracterizada pela ausência de vocal, sendo valorizada somente a condução instrumental. Faz parte da chamada música instrumental popular.

É pioneira em experimentalismo e flerta bastante com a música folk e música regional.

História

A música instrumental já era difundida antes dos anos 50 e foi importante para o desenvolvimento do rock 'n' roll, como o bluegrass, western swing e boogie woogie. Honky Tonk foi um R&B de 1956 de Bill Doggett e influente para o gênero.

O rock instrumental se fortaleceu mais precisamente a partir de 1958 na América com artistas que contribuíram com a evolução do baixo elétrico e da guitarra elétrica. Eles experimentaram músicas regionais e efeitos sonoros. Alguns dos varios artistas são; Link Wray, Duane Eddy, Santo & Johnny e The Fireballs. Outros grupos ganharam destaque em 1959 como The Ventures e o inglês The Shadows. O rock instrumental é uma das raízes do surf rock. O rock instrumental e surf rock (período de 1958 até 1964) foram importantes para a época, e também serviram de influencia para a Invasão Britânica.

Além de contribuir na evolução musical do rock 'n' roll, o rock instrumental permitiu experimentos como o desenvolvimento da distorção, reverbs e uso da díade, como exemplo o guitarrista Link Wray com a Rumble em 1958. Duane Eddy no mesmo ano também contribuiu gravando Movin'n'Groovin. E Dick Dale, que apesar de só gravar em 1961, ajuda na evolução da potência da guitarra e reverbs nesse mesmo período através de seu trabalho com Leo Fender. Outro grupo pioneiro do gênero na época foi The Champs.