Razão

Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde setembro de 2016). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Razão (desambiguação).
PortalA Wikipédia possui o:
Portal de Filosofia
"O Sono da Razão produz monstros", de Francisco Goya.

Razão é a capacidade da mente humana que permite chegar a conclusões a partir de suposições ou premissas. É, entre outros, um dos meios pelo qual os seres racionais propõem razões ou explicações para causa e efeito. A razão é particularmente associada à natureza humana, ao que é único e definidor do ser humano.

A razão permite identificar e operar conceitos em abstração, resolver problemas, encontrar coerência ou contradição entre eles e, assim, descartar ou formar novos conceitos, de uma forma ordenada e, geralmente, orientada para objectivos. Inclui raciocinar, apreender, compreender, ponderar e julgar, por vezes usada como sinónimo de inteligência.

Como uma forma de chegar a conclusões, é frequentemente contraposta não só com o modo como os animais não-humanos parecem tomar decisões, mas também com a tomada de decisões baseada na autoridade, na intuição, na emoção, na superstição ou na . A razão é considerada pelos racionalistas a forma mais viável de descobrir o que é verdadeiro ou melhor. A forma exacta como a razão difere da emoção, e tradição é controversa, dado que as três são consideradas potencialmente racionais, e, em simultâneo, pontencialmente em conflito com a razão.

A principal diferença entre a razão e outras formas de consciência está na explicação: o pensamento é tanto mais racional quanto mais conscientemente for pensado, de forma que possa ser expresso numa linguagem.

Etimologia

A etimologia do termo vem do latim rationem, que significa cálculo, conta, medida, regra, derivado de ratio, particípio passado de reor, ou seja, determino, estabeleço, e portanto julgo, estimo.[1] É a faculdade do homem de julgar[2], a faculdade de raciocinar, compreender, ponderar[3].

Uma segunda fonte da palavra razão é a palavra grega lógos, que vem do verbo legein, que quer dizer "contar", "reunir", "untar", "calcular". Por isso, lógos, ratio ou razão significam pensar e falar ordenadamente, com medida e proporção, com clareza e de modo compreensível para outros. [4]

En otros idiomas
العربية: علة (فلسفة)
অসমীয়া: যুক্তি
asturianu: Razón
башҡортса: Аң
български: Разум
bosanski: Razum
буряад: Оюун
català: Raó
нохчийн: Хьекъал
کوردی: ئاوەز
čeština: Rozum
Cymraeg: Rhesymu
dansk: Fornuft
Deutsch: Vernunft
English: Reason
Esperanto: Racio
español: Razón
eesti: Mõistus
euskara: Arrazoi
فارسی: عقل
suomi: Järki
français: Raison
Gaeilge: Réasúnú
galego: Razón
ગુજરાતી: તર્ક
hrvatski: Razum
Kreyòl ayisyen: Rezon
interlingua: Ration
Bahasa Indonesia: Akal
íslenska: Skynsemi
italiano: Ragione
日本語: 理性
ქართული: გონება
한국어: 이성
Latina: Ratio
لۊری شومالی: عقل
lietuvių: Protavimas
latviešu: Spriešana
македонски: Разум
Bahasa Melayu: Akal
Nederlands: Rede
norsk: Fornuft
occitan: Rason
polski: Rozum
Runa Simi: Humu
română: Rațiune
русский: Разум
sicilianu: Raggiuni
Scots: Raison
سنڌي: عقل
srpskohrvatski / српскохрватски: Razum
Simple English: Reason
slovenčina: Rozum
slovenščina: Razum
Soomaaliga: Macquul
shqip: Arsyeja
српски / srpski: Разум
svenska: Förnuft
தமிழ்: காரணம்
тоҷикӣ: Шуур
Türkçe: Gerekçe
татарча/tatarça: Акыл
українська: Розум (філософія)
Tiếng Việt: Lý trí
ייִדיש: סברה
中文: 理智
Bân-lâm-gú: Lí-sèng