Radical (química)

Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2011)
Por favor, este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.

Radical ou Radical livre é o termo que designa o grupo de átomos combinados numa molécula (orgânica ou inorgânica) capaz de manter sua individualidade numa reação e passível de ser substituído integralmente por um elemento ou outro radical num composto.

O radical fica livre durante pouco tempo enquanto está passando de um composto para outro. Nesse intervalo de um composto para outro, apresenta valência(s) livre(s). É o produto de uma cisão homolítica.

No nosso organismo, os radicais livres são produzidos pelas células e moléculas, durante o processo de combustão por oxigênio, utilizado para converter os nutrientes dos alimentos absorvidos em energia. Os radicais livres podem danificar células sadias do nosso corpo, entretanto, o nosso organismo possui enzimas protetoras que reparam 99% dos danos causados pela oxidação, ou seja, nosso organismo consegue controlar o nível desses radicais produzidos através de nosso metabolismo.

Os processos metabólicos não são a única fonte de radicais livres. Fatores externos podem contribuir para o aumento da formação dessas moléculas. Entre esses fatores estão:

É importante destacar que uma boa alimentação, rica em verduras, legumes e frutas, é a melhor maneira de prevenir os malefícios dos radicais livres.

Uma parte do oxigênio que respiramos se transforma em radicais livres, portanto o próprio exercício físico é um importante gerador dessas moléculas. Deve ser lembrado que os radicais livres também têm um papel importante atuando no combate a inflamações, matando bactérias, e controlando o tônus dos músculos lisos.

Os antioxidantes protegem o organismo da ação danosa dos radicais livres. Alguns antioxidantes são produzidos por nosso próprio corpo e outros — como as vitaminas C, E e o betacaroteno (Scavengers) — são ingeridos.

Oxidantes como espécies danosas

Um radical livre pode ser definido como uma molécula capaz de existir independente, que contenha um elétron desemparelhado, podendo ser considerado como um fragmento de moléculas, no orbital atômico. A presença de um elétron não emparelhado produz certas propriedades comuns que são observadas pela maioria dos radicais. Muitos radicais são instáveis e altamente reativos. Eles podem doar um elétron ou aceitar um elétron de outras moléculas, portanto, comportando-se como oxidantes ou redutores.

Figura 1: Alguns radicais orgânicos

O primeiro radical livre orgânico identificado foi trifenilmetil radical. Esta espécie foi descoberta por Moses Gomberg em 1900 na Universidade de Michigan EUA. Moses Gomberg estava tentando sintetizar um composto de carbono chamado hexafeniletano quando, inadvertidamente, ele sintetizou trifenilmetil, uma substância misteriosa, altamente instável. Ele reconheceu que tinha encontrado um radical livre e mostrou que o carbono não é sempre tetravalente.

Figura 2: Reação de Moses Gomberg do Trifenilmetil

Gomberg publicou suas descobertas em 1900, mas a existência de trifenilmetil e outros radicais livres orgânicos permaneceram na disputa por quase uma década. Eles eram vistos como uma curiosidade, mesmo depois da comunidade científica reconhecer sua existência.

Sabemos agora que os radicais livres orgânicos são essenciais para a maneira pela qual algumas enzimas funcionam no corpo humano. Sabemos que os radicais livres orgânicos estão envolvidos no processo de envelhecimento do corpo, no seu funcionamento saudável e no desenvolvimento de cancro e outras doenças graves. Compreender os radicais livres orgânicos tem nos ajudado a explicar a síntese de DNA no corpo e muitos outros fenômenos naturais, da deterioração dos alimentos aos efeitos de queimaduras solares. Os radicais livres orgânicos também desempenham um papel importante na produção de plásticos, borracha sintética e outros materiais sintéticos largamente utilizados.

En otros idiomas
العربية: جذر كيميائي
български: Радикал (химия)
বাংলা: রেডিকাল
čeština: Radikál
Ελληνικά: Χημική ρίζα
eesti: Radikaal
français: Radical (chimie)
हिन्दी: मूलक
Bahasa Indonesia: Radikal bebas
íslenska: Sindurefni
italiano: Radicale libero
한국어: 유리기
македонски: Радикал (хемија)
Bahasa Melayu: Radikal bebas
नेपाली: रेडिकल
norsk nynorsk: Fritt radikal
polski: Rodniki
русиньскый: Радикал (хемия)
srpskohrvatski / српскохрватски: Radikal (hemija)
Simple English: Free radical
slovenčina: Radikál (chémia)
slovenščina: Radikal (kemija)
српски / srpski: Radikal (hemija)
Basa Sunda: Radikal (kimia)
svenska: Fri radikal
தமிழ்: மூலிகம்
Türkçe: Radikal (kimya)
татарча/tatarça: İrekle radikallar
українська: Радикал (хімія)
oʻzbekcha/ўзбекча: Kimyoviy radikallar
Tiếng Việt: Gốc tự do
吴语: 自由基
中文: 自由基