Puerto Madero

Puerto Madero
Diques de Puerto Madero.
Diques de Puerto Madero.
Localização de Puerto Madero em Buenos Aires.
Localização de Puerto Madero em Buenos Aires.
Coordenadas34° 36' 43" S 58° 21' 53" O
Comuna1
País Argentina
CidadeBandera de la Ciudad de Buenos Aires.svg Buenos Aires
Fundação1996 (22 anos)[1]
Área
 - Total5,03 km²
População (2010)
 - Total6 726
    • Densidade1 337,2 hab./km²

Puerto Madero é um dos bairros da cidade de Buenos Aires, capital da Argentina. Pertencente à Comuna 1, o bairro possui uma área de 5,03 km² e tinha uma população de 6.726 habitantes em 2010, sendo 3.611 homens e 3.115 mulheres.[2] A localização próxima à zona central de Buenos Aires, a existência de uma reserva ecológica e a proximidade com o Rio da Prata fazem de Puerto Madero um dos bairros mais valorizados da capital argentina.

A maior parte do bairro está situada em uma ilha, interligada ao resto da cidade por seis pontes que cruzam quatro diques. A oeste, Puerto Madero faz fronteira com os seguintes bairros porteños: La Boca, Monserrat, San Nicolás e San Telmo. Grande parte da área de Puerto Madero é ocupada pela Reserva Ecológica de Buenos Aires.

O local onde o bairro está inserido foi, ao final do século XIX e no início do século XX, uma área portuária. A revitalização da região onde o bairro localiza-se, iniciada na década de 1990, foi um dos projetos de renovação urbana mais bem sucedidos do mundo, referência para outros projetos em outros países. Puerto Madero recebeu, nos últimos anos, construções projetadas por diversos arquitetos de renome, dentre eles Santiago Calatrava, Norman Foster, César Pelli e Philippe Starck.

O bairro recebeu esse nome por homenagear Eduardo Madero, que foi um comerciante porteño. Madero foi o responsável por elaborar três projetos para a construção do porto de Buenos Aires, dos quais um fora aprovado pelo presidente argentino Julio Argentino Roca em 1882 e construído onde hoje localiza-se o bairro de Puerto Madero.

Segundo um estudo feito pela plataforma Properati e publicado em 2018, Puerto Madero é apontado como o bairro mais exclusivo e procurado da América Latina. De acordo com o estudo, o valor médio do metro quadrado de apartamentos com dois ou três quartos no bairro é de US$ 7.038, o mais caro levando em consideração os valores de outros bairros pesquisados como Ipanema e Vila Nova Conceição. Segundo a Properati, a fase final da urbanização de Puerto Madero e os altos custos da construção na Argentina são os principais fatores responsáveis pela acelerada valorização do bairro na última década.[3][4]

História

Área portuária

Elevadores de grãos situados no lado leste do dique nº 2, em 1910.

Devido a baixa profundidade da foz do Rio da Prata,a cidade de Buenos Aires possuía problemas relacionados ao descarregamento de navios nas proximidades continentais . Os navios, até meados do século XIX, tinham que desembarcar passageiros e mercadorias em embarcações menores para que pudessem chegar em terra pois não existiam docas na capital argentina.[5] No final do século XIX,a América Latina vivia o auge do modelo agroexportador e existia a real necessidade da existência de um grande porto para que a Argentina,exportasse a sua produção para a Europa[1]

Em 1882, o Governo da Argentina contratou o engenheiro Eduardo Madero, que dá nome ao bairro, para ser encarregado da construção de um porto em Buenos Aires. O projeto de Madero consistia na construção de quatro diques fechados, interconectados mediante pontes, e de duas docas,baseado em diversos portos construídos em situações semelhantes nos Países Baixos[1] A construção do porto, denominado Puerto Madero, iniciou-se em 1º de abril de 1887 e foi realizada pela empresa inglesa Thomas Walker & Co. As obras foram concluídas em 31 de março de 1898, quatro anos após o falecimento de Eduardo Madero.[6] Considerado um marco da engenharia na época, o porto apresentava fisionomia similar ao porto de Londres.

No entanto, uma década após a inauguração do porto, as instalações tornaram-se obsoletas devido ao surgimento de grandes navios cargueiros. Por causa disso, o engenheiro Luis Huergo propôs a criação de um novo setor para o porto, que fora denominado Puerto Nuevo, consistindo de docas em forma de pente.[7] O setor planejado por Huergo, concluído em 1928 e que opera até os dias atuais, tornou a área desvalorizada e como consequência começou um processo de degradação da área,que durou até os fins da década de 1980.

Novo bairro

Ruínas de um elevador de grãos, em 1999.

Ao longo do século XX, diversos planos para a área do antigo porto, que propunham a demolição das instalações ou a reurbanização do setor, foram propostos, porém nenhum deles vingou. Em 15 de novembro de 1989, o Ministério de Obras e Serviços Públicos da Argentina, o Ministério do Interior da Argentina e a Prefeitura de Buenos Aires assinaram o ato de constituição de uma corporação denominada Corporación Antiguo Puerto Madero S.A. (Capmsa), criada com a finalidade de transformar a antiga área portuária em um novo bairro por meio de uma parceria público-privada.[8] O ato determinava que a prefeitura da cidade seria a responsável pela regulamentação do desenvolvimento urbano do setor.

Puerto Madero em 2005.

Para que o projeto fosse executado,a prefeitura da cidade,entrou em contato com a prefeitura da cidade espanhola de Barcelona,que executou um projeto de grande impacto urbano durante o processo de preparação para os Jogos Olímpicos de Verão de 1992.Ambas cidades formaram um grupo de estudos para a elaboração do plano de revitalização da área com profissionais de diversas áreas. Em 1991, houve a convocação um concurso nacional de ideias visando a urbanização do espaço. Em fevereiro de 1992, foi anunciado os três projetos vencedores do concurso. Conforme o estabelecido pelas regras do concurso, representantes de cada uma das propostas reuniram-se para constituir uma nova equipe, responsável por traçar o plano diretor do novo bairro.[5] A transformação de Puerto Madero em bairro foi a maior obra do gênero realizada na América Latina,até então, com um investimento total de cerca de US$ 1 bilhão por parte do Estado. Na área, foram construídas diversas ruas e avenidas que, posteriormente, receberam nomes de influentes mulheres latino-americanas,este projeto culminou no aterro que deu origem ao Parque Mulheres Argentinas. Também foram inseridos no novo bairro dois grandes parques, amplos boulevards, passeios públicos e monumentos.[1]

Durante a década de 1990, houve um investimento estrangeiro maciço em Puerto Madero, responsável principalmente pela construção de diversos edifícios no bairro. Os antigos armazéns de grãos e de mercadorias, que conferem elegância, prestígio e identidade ao bairro, foram revitalizados. As fachadas de tijolos dos armazéns, bem como as vigas de ferro fundido, foram conservadas com a finalidade de preservar o valor histórico das construções.[1] Os armazéns do lado continental, por exemplo, foram modificados para se transformarem em residências, escritórios, lofts, universidades privadas, hotéis de luxo e restaurantes. O dinheiro arrecadado com a venda dos antigos armazéns foi reinvestido na revitalização do entorno.

Em 1996, o Conselho Deliberante da Cidade Autônoma de Buenos Aires, por meio da Portaria n.º 26.607, definiu Puerto Madero como o 47º bairro da cidade.[1] Devido à recessão econômica enfrentada pelo país entre 1998 e 2002, diversas obras previstas para o bairro foram suspensas. Através da recuperação experimentada pela economia argentina a partir de 2003, houve um novo impulso imobiliário em Puerto Madero. Atualmente, diversos arranha-céus encontram-se em construção no bairro.

Dique nº 3 em 2010. À esquerda, a Puente de la Mujer.
En otros idiomas
български: Пуерто Мадеро
čeština: Puerto Madero
Deutsch: Puerto Madero
English: Puerto Madero
Esperanto: Puerto Madero
español: Puerto Madero
français: Puerto Madero
italiano: Puerto Madero
lietuvių: Puerto Maderas
Bahasa Melayu: Puerto Madero
occitan: Puerto Madero
română: Puerto Madero
slovenčina: Puerto Madero
svenska: Puerto Madero