Primeiro Concílio de Niceia

Primeiro Concílio de Niceia
Afresco do século XVI representando o Primeiro Concílio de Niceia.
Data20 de maio de 325 - 19 de junho de 325
Aceite por
Concílio anteriorConcílio de Jerusalém
Concílio seguintePrimeiro Concílio de Constantinopla
Convocado porImperador Constantino I
Presidido porÓsio de Córdoba (e Imperador Constantino I)[1]
Afluência318 (número tradicional)

250–318 (estimativas)

Tópicos de discussãoArianismo, controvérsia da Páscoa, ordenação de eunucos, proibição de se ajoelhar aos domingos e da Páscoa ao Pentecostes, batismo de heréticos, estatuto dos prisioneiros na perseguição de Licínio, cisma meleciano, diversos outros assuntos.[2]
DocumentosCredo Niceno,[3] vinte cânones[4] e uma epístola sinodal.[2]
Todos os Concílios Ecuménicos Católicos
Portal do Cristianismo


O Primeiro Concílio de Niceia foi um concílio de bispos cristãos, reunidos na cidade de Niceia da Bitínia (atual İznik, província de Bursa, Turquia) pelo Imperador Romano Constantino I em 325. Constantino I organizou o concílio nos moldes do senado romano e o presidiu, mas não votou oficialmente.

Este concílio ecumênico foi a primeira tentativa de alcançar um consenso na Igreja através de uma assembléia representando toda a cristandade. Ósio, bispo de Córdoba, provavelmente um legado papal, pode ter presidido suas deliberações.[5][6]

Seus principais feitos foram a resolução da questão cristológica da natureza divina de Jesus e sua relação com Deus Pai;[3] a construção da primeira parte do Credo Niceno; a fixação da data da Páscoa[7] e a promulgação da lei canônica em sua primeira forma.[4][8]

Visão geral

O Primeiro Concílio de Niceia foi o primeiro concílio ecumênico da Igreja.[9] Seus feitos resultaram em um dos primeiros símbolos da fé e doutrina cristã, chamado de Credo Niceno. Com a criação deste credo, estabeleceu-se um precedente para os concílios locais e regionais subsequentes (Sínodos), realizados pelos bispos, para criar declarações de crença e cânones da ortodoxia doutrinária — com a intenção de definir a unidade das crenças para toda a cristandade.

Derivado do grego koiné (em grego: οἰκουμένη; transl.: oikouménē , "o habitado"), "ecumênico" significa "no mundo todo; de âmbito geral, universal". O termo, de modo geral, foi usado para se referir à Terra conhecida e habitada,[10] o que naquele momento da história era sinônimo de Império Romano. Os primeiros usos do termo aplicados a um concílio são em "Vida de Constantino", escrito por Eusébio de Cesareia[11] em torno de 338, no qual ele afirma que "ele convocou um concílio ecumênico" (em grego: σύνοδον οἰκουμενικὴν συνεκρότει; transl.: sýnodon oikoumenikḕn synekrótei),[12] e numa carta ao Papa Dâmaso I e aos bispos latinos do Primeiro Concílio de Constantinopla em 382.[13]

Um dos propósitos do concílio foi resolver as divergências que surgiram dentro da Igreja de Alexandria sobre a natureza de Jesus e sua relação com o Pai. Discussões sobre a origem do Filho envolveram dois posicionamentos: se ele não teve começo e foi gerado pelo Pai a partir de seu próprio ser ou se teve começo e foi criado do nada.[14] Alexandre e Atanásio, ambos de Alexandria, tomaram a primeira posição e o popular presbítero Ário, de quem vem o termo arianismo, tomou a segunda. O concílio decidiu, esmagadoramente, contra os arianos. De aproximadamente 318 participantes, todos, com exceção de dois, concordaram em assinar o credo e estes dois, juntamente com Ário, foram banidos para a Ilíria.[9][15]

Outro resultado do concílio foi um acordo sobre quando celebrar a Páscoa, a mais importante festa do calendário eclesiástico, decretado em uma epístola à Igreja de Alexandria na qual se diz:

Nós também lhe enviamos as boas novas do acordo relativo à sagrada Páscoa, isto é, em resposta às suas orações, esta questão também foi resolvida. Todos os irmãos do Oriente que até o momento seguiram a prática judaica, a partir de agora, observarão o costume dos romanos e de vocês e de todos nós que, desde os tempos antigos, mantivemos a Páscoa juntamente com vocês.[16]

Historicamente significativo como o primeiro esforço para alcançar um consenso na Igreja através de uma assembléia representando toda a cristandade, o concílio foi a primeira ocasião em que os aspectos técnicos da cristologia foram discutidos.[17] Por meio dele, estabeleceu-se um precedente para os concílios gerais posteriores adotarem credos e cânones. Este concílio é, geralmente, considerado o início do período dos primeiros sete concílios ecumênicos da história do cristianismo.

En otros idiomas
Bahasa Indonesia: Konsili Nicea I
Lingua Franca Nova: Prima Consilio de Nicea
srpskohrvatski / српскохрватски: Prvi nikejski sabor
Simple English: First Council of Nicaea
slovenščina: Prvi nicejski koncil
Tiếng Việt: Công đồng Nicaea I