Partido de Ação Nacionalista

Partido de Ação Nacionalista
Milliyetçi Hareket Partisi
Fundação1969
Sede Turquia, Ancara
IdeologiaNacionalismo turco
Conservadorismo social
Panturquismo
Populismo de direita
Síntese Islamismo-Turquia
Eurocepticismo
Espectro políticoExtrema-direita
Ala jovemLobos cinzentos
Membros  (2013)363.393
Grande Assembleia Nacional da Turquia
49 / 600
CoresVermelho e Branco
Página oficial
www.mhp.org.tr
Bandeiras do MHP em Şile, durante a campanha eleitoral para as eleições locais de 2009.
Carro da campanha eleitoral para as eleições locais de 2009 em Kadıköy, Istambul.

O Partido de Ação Nacionalista (em turco: Milliyetçi Hareket Partisi; sigla: MHP), também traduzido como Partido do Movimento Nacionalista é um partido político nacionalista de extrema-direita[1][2] da Turquia.

Nas eleições legislativas de 22 de julho de 2007, o partido obteve 14,3% dos votos e 71 assentos no parlamento (Grande Assembleia Nacional da Turquia).[3] Nas eleições anteriores, realizadas a 3 de novembro de 2002, tinha obtido 8,3%.

História

A históra do MHP começou com a tomada do controlo do Partido Republicano da Nação dos Camponeses (Cumhuriyetçi Köylü Millet Partisi, CKMP), de ideologia conservadora, por Alparslan Türkeş, um turco cipriota, em 1965. Em 8 e 9 de fevereiro de 1969, esse partido mudou de nome para o atual num congresso extraordinário que decorreu em Adana.

O partido adotou o nacionalismo turco, imbuído de uma mitologia que sugere que todos os turcos partilham uma linhagem comum. Sob a liderança de Alparslan Türkeş e apoiado financeiramente pela CIA como parte das atividades anti-comunistas desta organização, milícias armadas ligadas ao partido foram responsáveis pelo assassinato de muitos esquerdistas durante os anos 1970.[4] Em 1978, Ülkü Ocaklarını, líder dos Lobos Cinzentos, a ala juvenil do partido, gabou-se que eles tinham um serviço de inteligência (informações) superior ao do estado.[5]

Quando o exército turco tomou o poder após o golpe de estado de 12 de setembro de 1980 liderado pelo general Kenan Evren, o MHP foi ilegalizado e muitos dos seus líderes foram presos. Muitos dos membros proeminentes juntaram-se ao Anavatan Partisi (Partido da Pátria) e a outros movimentos políticos de cariz islamista. Um membro do partido, Agâh Oktay Güner, comentou em tom irónico que a ideologia do partido estava no poder ao mesmo tempo que muitos dos seus apoiantes se encontravam na prisão.[carece de fontes?]

O partido foi refundado em 1983 com o nome de Partido Conservador (em turco: Muhafazakar Parti), nome que foi mudado em 1985 para Partido Trabalhista Nacionalista (Milliyetçi Çalışma Partisi) e novamente para o anterior em 1992. Em 1993, Muhsin Yazıcıoğlu e outros cinco deputados do MHP abandonaram o partido e fundaram o Partido da Grande União (Büyük Birlik Partisi, BBP), de cariz ultranacionalista e islamista.[6]

En otros idiomas
Bahasa Indonesia: Partai Gerakan Nasionalis
مازِرونی: ملی حرکت حزب