Parc de la Ciutadella

Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde agosto de 2015). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser acadêmico)
"Barcelona y su parque", filme de 1911 realizado por Segundo de Chomón.

O Parque da Cidadela (em catalão Parc da Ciutadella) foi durante muitos anos o único parque da cidade de Barcelona. Foi construído nos antigos terrenos da fortaleza da cidade (daí seu nome Cidadela), à imagem e semelhança do Jardim do Luxemburgo de Paris.

Está situado no bairro de Ciutat Vella, no triângulo compreendido entre a Estação de França, o Arco do Triunfo e a Aldeia Olímpica, entre o Passeig Pujades, o Passeig Picasso e a Rua Wellington. Dispõe de dez acessos e tem uma extensão de 17,42 hectares, sem contar com o Zoo de Barcelona.

No parque encontra-se o antigo Arsenal de la Ciutadella, sede actual do Parlamento da Cataluña.

Origens

Plano de Barcelona de 1806 com a Cidadela integrada dentro das muralhas.

O parque ocupa os terrenos da Cidadela construída por Filipe V para dominar a cidade depois da Guerra de Sucessão Espanhola, no século XVIII.

Em 11 de setembro de 1714, depois de um cerco de mais de 13 meses, Barcelona rendeu-se ao exército do rei Filipe V que, para manter a cidade sob estrito controlo construiu esta cidadela ou fortaleza, a maior de Europa na altura, em forma de estrela.

A Cidadela foi parte integrante de um conjunto militar para dominar plenamente a cidade de Barcelona onde, junto à Cidadela propriamente dita, se construiu o Castillo de Montjuïc, na montanha homónima que domina Barcelona desde essa época. A construção da Cidadela ficou ao cargo do engenheiro militar de origem flamenca, Joris Prosper Van Verboom. A construção decorreu entre 1716 e 1718.

Para sua construção foi necessário derrubar parte do bairrio da Ribera, que não seria transferido para Barceloneta até três décadas mais tarde. Derrubaram-se 1200 casas, bem como os conventos de San Agustín e Santa Clara, e desviou-se a Acequia Condal. Ao todo cerca de 4500 pessoas ficaram desalojadas. Não foram concedidas compensações e estas pessoas foram abandonadas à sua sorte.