País desenvolvido

A expressão país desenvolvido é utilizada para descrever os países que têm alto nível de desenvolvimento econômico e social, tomando como base alguns critérios. Quais critérios devem ser utilizados e quais países podem ser classificados como "desenvolvidos" são questões controversas e há um debate feroz sobre isso. Critérios econômicos têm vindo a dominar as discussões. Um dos critérios utilizados é a renda per capita e o valor do produto interno bruto per capita de cada país. Outro critério econômico é a industrialização. Os países onde os setores terciário e quaternário da indústria predominam na economia são considerados desenvolvidos. Mais recentemente, uma outra medida, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), começou a ser utilizado. O IDH mede três dimensões: riqueza, educação e esperança média de vida e é uma maneira padronizada de avaliação e medida do bem-estar de uma determinada população. Os países desenvolvidos geralmente são os que apresentam IDH elevado. Países que não entram em tais definições são classificados como países em desenvolvimento ou subdesenvolvidos.

Termos semelhantes a "países desenvolvidos" incluem países avançados, países industrializados, países mais desenvolvidos (PMD), países mais economicamente desenvolvidos (PMED), país de primeiro mundo e país pós-industrial. O termo "país industrializado" pode ser um pouco ambíguo, visto que a industrialização é um processo contínuo e difícil de ser definido. O termo PMED é utilizado pelos geógrafos modernos para descrever especificamente o estatuto dos países referidos como economicamente mais desenvolvidos. O primeiro país industrializado foi o Reino Unido, seguido pela Bélgica, Alemanha, Estados Unidos, França e outros países da Europa Ocidental. Segundo alguns economistas, como Jeffrey Sachs, no entanto, o fosso existente entre países desenvolvidos e em desenvolvimento é basicamente um fenômeno do século XX.[1]

Definição

Kofi Annan, antigo Secretário-Geral das Nações Unidas, definiu um país desenvolvido como segue:

Mas, de acordo com o Divisão Estatística das Nações Unidas:

E observa que:

A Organização das Nações Unidas também diz:

Segundo a classificação do Fundo Monetário Internacional de antes de abril de 2004, todos os países da Europa Oriental (incluindo países da Europa Central que ainda pertencem ao grupo da Europa Oriental nas instituições das Nações Unidas), bem como os países da antiga União Soviética (URSS), da Ásia Central (Cazaquistão, Uzbequistão, Quirguistão, Tajiquistão e Turquemenistão) e a Mongólia, não foram incluídos em qualquer definição de "desenvolvidos" ou "em desenvolvimento", mas foram referidos como "países em transição", porém são agora amplamente considerados (nos relatórios internacionais) como "países em desenvolvimento". No século XXI, os originais quatro "tigres asiáticos"[5] (que são Hong Kong,[5][6] Taiwan,[5][6] Singapura[5][6] e Coreia do Sul[5][6][7][8]) são consideradas áreas ou regiões "desenvolvidas", juntamente com Chipre,[6] República Checa,[6] Israel,[6] Malta,[6] Eslováquia[6] e Eslovênia.[6]

En otros idiomas
Afrikaans: Ontwikkelde land
العربية: دولة متقدمة
беларуская: Развітыя краіны
беларуская (тарашкевіца)‎: Разьвітыя краіны
български: Развити страни
বাংলা: উন্নত দেশ
čeština: Vyspělá země
Esperanto: Industrilando
føroyskt: Ídnaðarland
français: Pays développé
हिन्दी: विकसित देश
Bahasa Indonesia: Negara maju
íslenska: Þróað land
日本語: 先進国
한국어: 선진국
Bahasa Melayu: Negara maju
Nederlands: Ontwikkeld land
norsk nynorsk: Industriland
srpskohrvatski / српскохрватски: Razvijene zemlje
Simple English: Developed country
slovenčina: Vyspelá krajina
српски / srpski: Развијена земља
svenska: Industriland
татарча/tatarça: Югары үсештәге ил
українська: Розвинені країни
Tiếng Việt: Nước công nghiệp
Bân-lâm-gú: Sian-chìn-kok