Pílula contraceptiva oral combinada

Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Fevereiro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e a coerência e o rigor deste artigo.


Pílula contraceptiva oral combinada
Informação
TipoHormonal
Primeiro uso1960
Taxas de gravidez (primeiro ano)
Uso perfeito0.1 %
Uso típico5 %
Utilização
Duração do efeitoO efeito dura, com o uso perfeito e regular, um periodo de 28 dias dependendo da cartela. Por bloquear a ovulação, evita o período fértil, usualmente de 4 dias.
ReversibilidadeSim
NotasDeve ser tomada diariamente no mesmo horário. Um médico deve, preferencialmente, prescrever a pílula para quem a deseja.
Intervalo clínico6 meses
Vantagens e desvantagens
Proteção contra DSTNão
Aumento de pesoNão. (As mais antigas sim)
Vantagens na menstruaçãoAs cólicas são reguladas, e geralmente mais leves e menos dolorosas
BenefíciosDiminuição do risco de câncer no ovário e endométrio.
Pode tratar acne, PCOS, endometriose.
RiscosAumento de TVPs, derrames, câncer de mama


A pílula contraceptiva oral combinada (COC), muitas vezes referida como a pílula anticoncepcional ou coloquialmente como " pílula", é um método de controle de natalidade que inclui uma combinação de um estrogênio (estradiol) e um progestógeno (progesterona). Quando tomado por via oral, a cada dia, essas pílulas inibe a fertilidade feminina.

As pílulas foram inicialmente aprovadas para uso anticoncepcional nos Estados Unidos em 1960, e são uma forma muito popular de controle de natalidade. São usadas ​​atualmente por mais de 100 milhões de mulheres em todo o mundo e quase 12 milhões de mulheres só nos Estados Unidos.[1] Seu uso varia enormente de país,[2] idade, escolaridade e estado civil. Um terço das mulheres com idade entre 16-49 no Reino Unido atualmente utilizam a pílula que só contém o progestagénio ou a pílula combinada.[3][4]

As duas formas de pílula estão na Lista de Medicamentos Essenciais da Organização Mundial de Saúde, os medicamentos mais importantes, necessários em um sistema básico de saúde.[5] A pílula foi um catalisador para a revolução sexual.[6] Os historiadores creditam a pílula como o contraceptivo mais importante para transferir o poder sobre os direitos reprodutivos dos homens para as mulheres.[7]

Uso clínico

Os contraceptivos orais combinados devem ser tomados diariamente, no mesmo horário. Se um ou mais comprimidos são esquecidos por mais de 12 horas, a proteção contra a gravidez é reduzida.[8] A maioria das marcas de pílulas combinadas são embalados em um dos dois tamanhos diferentes, com dias marcados para um ciclo de 28 dias. Para a embalagem de 21 comprimido, uma pílula é consumida por dia durante três semanas, seguido de uma semana sem pílulas. Na embalagem de 28 pílulas, as pílulas são tomadas por 21 dias, seguido por uma semana de placebo ou comprimidos de açúcar. Pode haver um sangramento de escape em algum momento durante a semana de placebo, e mesmo assim estar protegida de uma gravidez durante esta semana. Há também dois outros tipos de pílulas (Yaz 28 e Loestrin 24 Fe) que possuem 24 dias de pílulas hormonais ativas, seguido de 4 dias de placebo.[9]

Pílulas de placebo

As pílulas de placebo fazem com que a pessoa mantenha o hábito diário mesmo durante a semana sem hormônios, as pílulas de placebo podem conter um suplemento de ferro,[10][11] já que as necessidades de ferro aumentam durante a menstruação.

O sangramento de escape que ocorre durante a pausa das pílulas ativas foi pensado ser reconfortante, como uma confirmação física de não estar grávida.[12] A embalagem de pílula de 28 dias também simula o ciclo menstrual médio, embora os acontecimentos hormonais durante o ciclo da pílula são significativamente diferentes de um ciclo menstrual ovulatória normal. A pílula suprime o ciclo normal, e o sangramento de escape ocorre enquanto as pílulas de placebo são tomada, esse sangramento também é previsível; o sangramento inesperado pode ser um efeito colateral possível do uso da pílula por longa data.[13]

Eficácia

O índice de Pearl é frequentemente usado para comparar a eficácia dos diferentes métodos de contracepção.[14] Ele é expresso como o "número de gravidezes indesejadas em 100 mulheres normalmente férteis em um período de um ano". Cada método de controle de natalidade tem dois números no índice de Pearl:

  • efetividade do método: é o número do índice de Pearl para uso sob condições perfeitas. O número de efetividade do método para a pílula anticoncepcional tem sido medido entre 0,3 e 1,25, o que significa que em condições ideais, entre 0,3 e 1,25 usuárias a cada 100 se tornaram grávidas durante o primeiro ano de uso perfeito da pílula (índice de Pearl = 0,3 a 1,25).
  • efetividade do usuário ou efetividade típica: é o número do índice de Pearl para uso que não é consistente ou sempre correto. A efetividade do usuário medida pelo índice de Pearl para a pílula anticoncepcional está entre 2,15 e 8,0, o que significa que entre 2,15 e 8,0 usuárias a cada 100 se tornaram grávidas durante o primeiro ano de uso típico da pílula (índice de Pearl = 2,15 a 8,0).[15][16]

A estimativa da probabilidade de gravidez durante o primeiro ano de "uso perfeito" da pílula é de 0,3%, e a probabilidade estimada de gravidez durante o primeiro ano no "uso típico" é de 9%.[17] A taxa de falha no uso perfeito é baseado em uma revisão das taxas de gravidez em ensaios clínicos, a taxa de falha de uso típico é baseado em uma média ponderada das estimativas dos inquéritos do U.S. National Surveys of Family Growth (NSFG) de 1995 e 2002 , corrigido para sub-registros de abortos.[17]

As pílulas COC fornecem uma contracepção eficaz desde a tomada da primeira pílula se iniciado no prazo de cinco dias após o início do ciclo menstrual (dentro de cinco dias do primeiro dia da menstruação). Se iniciado em qualquer outro momento do ciclo menstrual, as pílulas COC fornecem uma contracepção eficaz somente após 7 dias consecutivos do uso das pílulas ativas, portanto, um método de prevenção de gravidez deve ser usado até as pílulas ativas foram tomadas durante 7 dias consecutivos, as pílulas devem ser tomadas aproximadamente à mesma hora, todos os dias.[18][19]

A eficácia contraceptiva pode ser prejudicada por: 1) esquecer mais de um comprimido ativo, 2) atraso no início da próxima caixa de pílulas ativas (isto é, estendendo o período inativo ou de placebo além dos 7 dias), 3) má absorção intestinal das pílulas ativas devido a vômitos ou diarreia, 4) interações medicamentosas com pílulas ativas que diminuem os níveis contraceptivos do estrogênio ou da progesterona.[18]

A eficácia da pílula anticoncepcional oral combinada parece ser semelhante se as pílulas ativas são tiradas continuamente por períodos prolongados de tempo ou se forem tomadas durante 21 dias ativos e 7 dias como placebo.[20]

Instrução em caso de pílulas esquecidas:

  • menos de 12 horas: tomar a pílula que foi esquecida assim que possível.
  • entre 12 e 24 horas: tomar a pílula assim que possível e abster-se de relações sexuais ou usar outro método contraceptivo.
  • mais de 24 horas: tomar a pílula assim que possível e perguntar a um médico se uma segunda pílula deve ser tomada naquele mesmo dia e se a pílula esquecida ainda deve ser usada neste mês. Abster-se de relações sexuais ou utilizar outros métodos de contracepção durante pelo menos 7 dias.[21]

Se ocorrer a menstruação, espere uma semana, em seguida, iniciar um novo conjunto de pílulas. Se os comprimidos não use um ciclo mensal, pergunte a um médico para obter informações.

En otros idiomas