Ostracodermes

Como ler uma infocaixa de taxonomiaOstracodermi
Ocorrência: 480–360 Ma[1][2]
Doryaspis.jpg
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Subfilo:Vertebrata
Superclasse:Agnatha*
Grupos Inclusos

Os ostracodermes ou ostracodermos (do grego ostrac, casca + derm, pele) são peixes agnatos extintos. São caracterizados pelo revestimento de ossos dérmicos, organizados em forma de armaduras, escamas ou carapaças. Apesar do seu revestimento externo bem aperfeiçoado, seu endoesqueleto era ausente ou pouco desenvolvido, mas, quando presente, era constituído de cartilagem.[1][2][3]

O grupo dos ostracodermos era constituído por peixes pequenos, podendo medir entre 10 e 50 cm. Era fundamentalmente de água doce, e habitou a Terra entre aproximadamente 500 e 350 milhões de anos. As causas da sua extinção são incertas, mas a redução dos grupos no Devoniano Inferior pode estar relacionado com a diminuição do nível do mar.[1] Outras hipóteses sugerem que o desaparecimento deles está ligado com a diversificação dos peixes gnatostomados, mas pesquisas indicam que os grupos acendentes de peixes com mandíbula conviveram com os agnatos por pelo menos 30 milhões de anos, o que pode sugerir que o surgimento dos gnatostomados não teve grandes influencias no desaparecimento do grupo.[4] Devido a seu revestimento dérmico, os peixes se moviam pelo fundo do mar, provavelmente alimentando-se dos detritos que ali se depositavam.

Os primeiros fósseis encontrados do grupo foram achados na Inglaterra, e divididos inicialmente em dois grupos, os Heterostraci e os Osteostraci.[5] Atualmente, são divididos em dois grandes grupos, os Pteraspidomorfos e os "Cefalaspidomorfos".[2]

Alguns grupos já possuíam apêndices pares. Foram os primeiros a desenvolver um sistema complexo de linhas laterais, apesar de que esses sistema já estava presente nos ciclostomados. Foram também os primeiros animais a desenvolver um ouvido interno com canais semicirculares. As placas ósseas do revestimento se fundiam e formavam um escudo cefálico, que revestia a porção anterior do animal (o crânio, a boca circular, os globos oculares, entre outros). Nos troncos, as placas eram menores, o que permitia a movimentação. A maioria era achatado dorsoventalmente, resultando em animais não muito grandes. Além disso, eles não possuíam mandíbula, o que os colocavam dentro do grupo dos agnados.

Os ostracodermos são considerados hoje como um agrupamento parafilético, pois as espécies que estão agrupadas dentro dos Cefalaspidomorfos estão mais aparentadas com os gnatostomados. Incluem nove grupos principais: Pituriaspida, Galeaspida, Osteostraci, Thelodonti, Arandaspida, Astraspida, Eriptychiida, Heterostraci, e Anapsida.

Pteraspidomorfos

Os Pteraspidomorfos compõem a primeira divergência dentro de ostracoderme. Dentro de agnatha, são precedidos pelosconodontes. Os pteraspidomorfos surgem no Ordoviciano, mas somente pequenos fragmentos foram recuperados. Os fósseis mais preservados pertencem ao Devoniano Superior, onde se extinguiram. Possuíam um aparelho vestibular com dois canais semicirculares e aberturas nasais pares. Em alguns animais, espinhos laterais e dorsais se projetavam a partir do escudo cefálico, provavelmente para proteção, mas nenhum pteraspidomorfo foi encontrado com apêndices pares.[1]

En otros idiomas
čeština: Štítnatci
Deutsch: Ostracodermi
English: Ostracoderm
español: Ostracodermi
euskara: Ostrakodermo
suomi: Alkukalat
français: Ostracodermi
interlingua: Ostracodermi
italiano: Ostracodermi
日本語: 甲冑魚
한국어: 갑주어
Ligure: Ostracodermi
македонски: Штитоносци
Bahasa Melayu: Ostrakoderma
Nederlands: Ostracodermi
polski: Ostrakodermy
русский: Остракодермы
slovenčina: Štítovce
Tiếng Việt: Cá giáp
中文: 甲冑魚