Orquestra Filarmônica de Nova Iorque

O Avery Fisher Hall, no Lincoln Center, é a atual sede da Orquestra Filarmônica de Nova Iorque.

iA Filarmônica de Nova Iorque ( português brasileiro) ou Filarmónica de Nova Iorque ( português europeu), oficialmente Sociedade Filarmônica-Sinfônica de Nova Iorque [1]), é uma orquestra sinfônica baseada em Nova Iorque, Estados Unidos. É uma das orquestras conhecidas como Big Five. [2] A Filarmônica tem como residência o Avery Fisher Hall, localizado no Lincoln Center, em Nova Iorque.

Fundada em 1842, a orquestra é a instituição sinfônica mais antiga dos Estados Unidos por mais de quatro décadas. Celebrou seu concerto de número 14 mil em dezembro de 2004. [3]

Alan Gilbert é o atual Diretor Musical da Filarmônica, e Zarin Mehta (irmão do mundialmente renomado Diretor Musical Zubin Mehta) é o Presidente.

História

Fundação e Primeiro Concerto

Ureli Corelli Hill

A orquestra foi fundada pelo maestro estadunidense Ureli Corelli Hill, em 1842 como Sociedade Filarmônica de Nova Iorque - a terceira Filarmônica dos Estados Unidos desde 1799, [4] declarando que sua atitude "é um avanço para a música instrumental". [5] [6] O primeiro concerto da orquestra aconteceu dia 7 de dezembro de 1842 no Apollo Rooms para um público composto por 600 pessoas. O concerto abriu com a Sinfonia nº5 de Ludwig van Beethoven, conduzida por Hill. Outros dois maestros também conduziram a orquestra nas três horas de programa: o alemão Henry Christian Timm e o francês Denis Etienne.

Nona de Beethoven e Nova Residência

Após doze performances públicas, a Filarmônica organizou um concerto para arrecadar fundos para construir sua nova residência. O programa foi a Sinfonia nº 9 de Beethoven, sendo apresentada no Castle Garden, em Manhattan. Aproximadamente 400 músicos e vozes participaram da premières americana. O coral foi traduzido para o Inglês pela primeira vez na história. Entretanto, com o ticket ao preço de 2 dólares, a Filarmônica não conseguiu o necessário e sua construção teve que esperar.

Durante as primeiras sete temporadas da Filarmônica, sete músicos alternaram como maestros. Em audição com Hill, Timm e Etienne, se apresentaram: William Alpers, George Loder, Louis Wiegers e Alfred Boucher. [7] Isso mudou em 1849, quando Theodore Eisfeld instalou-se na orquestra como Maestro Solo para uma temporada. Eisfeld foi o maestro até 1865. Nesse ano, Eisfeld conduziu um concerto de memória para o recém assassinado Abraham Lincoln, mas esse peculiar evento foi criticado pela imprensa Nova Iorquina e a Filarmônica omitiu o último movimento: " Hino a Alegria", considerando-a inapropriada para a ocasião. [8] Nesse ano, Eisfeld retornou para a Europa e Carl Bergmann tornou-se o maestro, até sua morte em 1876.

En otros idiomas