Neoplasia de glândula salivar

Neoplasia de glândula salivar
As glândulas salivares maiores: a glândula parótida (1), na qual se forma a maioria dos tumores de glândula salivar, a glândula submandibular (2) e a glândula sublingual (3).
Especialidadeoncologia
Classificação e recursos externos
CID-1007-08, 11
CID-9142, 210.2
MedlinePlus001040
MeSHD012468
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 

A neoplasia de glândula salivar é um tipo de câncer que se forma nos tecidos de uma das glândulas salivares, as quais são classificadas em "maior" e "menor". As glândulas salivares maiores compreendem as parótidas, a submandibular e as sublinguais. As glândulas salivares menores são glândulas secretoras de muco encontradas no palato e nas cavidades nasal e oral.[1] O câncer de glândula salivar é raro, representando 2% dos tumores de cabeça e pescoço, sendo que a maior parte acomete as parótidas.[2]

Classificação

Tumor benigno de glândula submandibular, também conhecido como adenoma pleomórfico, apresentado como uma massa indolor no pescoço em um homem de 40 anos. À esquerda da imagem está o tumor, com sua característica superfície cartilaginosa cortada. À direita está a glândula salivar submandibular com lobos normais.

As neoplasias de glândula salivar são classificadas pela Organização Mundial de Saúde como primárias ou secundárias, benignas ou malignas e pelo seu tecido de origem.[3] Esse sistema define cinco categorias gerais de neoplasias de glândula salivar:[3]