Moralidade wiccana

Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde maio de 2014).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.

A moralidade wiccana é largamente expressa pelo Conselho wiccano: "Se a ninguém machucar, faça o que desejar". Enquanto isso poderia ser interpretado como significando "não há mal nenhum em tudo," é geralmente visto como uma declaração de liberdade para agir, juntamente com a necessidade de assumir a responsabilidade para o que se segue a partir das ações de cada um. [1]

Outro importante elemento da moralidade wiccana é a chamada Lei Tríplice, que diz que tudo que uma pessoa faz, para o bem ou para o mal, tem um triplo retorno. [2]

Muitos wiccanos também buscam seguir as oito virtudes mencionadas por Doreen Valiente em seu livro Carga da Deusa (em inglês, Charge of the Goddess)[3]. As virtudes se compõe em alegria, reverência, honra, humildade, força, beleza, energia e compaixão.

Wiccan Rede

O Wiccan Rede (Conselho Wiccano) é um poema de Doreen Valiente que pode ser resumido na frase: "Oito palavras tem a Wiccan Rede, sem ninguém prejudicar faça o que tu quiseres.". A regra difere muito das severas leis proibitivas de outras religiões (como a noção de pecado do Islamismo e do Cristianismo), possibilitando um amplo livre-arbítrio ao wiccano.

É importante ressaltar que a lei não se resume a não machucar outra pessoa, abrangendo também o auto-cuidado e o carinho a todas as coisas e animais, como manifestações do Divino. Todas as ações e palavras devem ser constantemente vigiadas, para que ninguém possa se ferir com elas. O princípio de não agressão é levado muito a sério. [4]

En otros idiomas