Mercenário

Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde setembro de 2016).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde dezembro de 2015). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Mercenário (desambiguação).

Mercenário (do latim mercenariu, de merce = comércio) é o nome pelo que é chamado aquele que trabalha por soldo ou pagamento.[1] O termo designa, especificamente, os soldados que lutam objetivando o pagamento ou a divisão dos despojos, sem ideais ou fidelidade a um estado ou nação.[2]

Histórico

Estátua a Bartolomeo Colleoni, famoso mercenário.
Lansquenete (mercenário de origem germânica, séc. XVI).

Soldados contratados em outros povos para lutar na defesa dos interesses alheios são instituto antigo.[2] Na China a existência de mercenários esteve ligada ao processo de formação do estado unitário, durante os séculos IV e III a.C.; tropas mercenárias foram oriundas das disputas entre os grandes feudos, formando o núcleo e a mentalidade dos exércitos que se formaram em seguida, na dinastia Han.[3] No Egito Antigo eram contratados mercenários líbios para a guarda das fronteiras. A Grécia os possuía, nas tropas das cidades e mesmo soldados gregos eram contratados pelos persas.[2]

Em Cartago, as revoltas das tropas mercenárias levou à derrota da importante colônia fenícia, durante o governo Amílcar Barca. A história foi romanceada por Gustave Flaubert, na obra Salammbô.[4]

As forças mercenárias ganham força na Alta Idade Média, formando tropas que, a serviço dos príncipes - únicos com direito de guerrear - participam dos muitos conflitos europeus. Nos tempos de paz, entretanto, estes guerreiros tornavam-se bandidos, à margem da lei por não terem outra ocupação e constituindo-se em problema social que os governantes enfrentavam enviando-os para combates em frentes distantes, como Constantinopla. Entre 1300 e 1375 ondas desses bandos invadem a Itália, sendo a formada pelos húngaros tão numerosa e bem-estruturada que se assemelhava a uma cidade-estado móvel.[2]

As depredações e os saques eram uma praga para muitas regiões. Carlos V pagou milhares de escudos para proteger o pretendente ao trono de Castela, Henrique de Trastâmara, contra Pedro, o Cruel, aliado dos ingleses. Em 1444, o Rei Luís XI de França contratou mercenários sem ocupação para combater mercenários suíços, lorenos e alsacianos. O papa Urbano V, sentindo ameaçado pelos mercenários, se propôs a reuni-los para uma nova Cruzada à Terra Santa. Foi do rei Carlos VII de França que veio a primeira sugestão prática para resolver o problema dos mercenários: reuniu os estados gerais em Orléans (1439) e sugeriu a criação de um exército permanente. A partir daí, o rei detinha poder sobre as tropas, seria o único a nomear oficiais e decretar impostos para mantê-los. Os capitães seriam responsáveis pela conduta de seus homens.[5]

No Brasil D. Pedro I formou o Corpo de Estrangeiros para lutar na Guerra da Cisplatina. Mais tarde, no tempo de D. Pedro II, foram contratados os mercenários Brummer.

Maquiavel

O problema das forças de aluguel preocupou Maquiavel, dedicando em sua obra O Príncipe, à análise dessas tropas a serviço do governante. Para ele, o príncipe deve procurar constituir tropas próprias, sendo um risco mesmo em caso de vitória.[6]

En otros idiomas
Alemannisch: Söldner
العربية: مرتزق
asturianu: Mercenariu
azərbaycanca: Muzdlu döyüşçü
български: Наемник
brezhoneg: Goprsoudard
bosanski: Najamnik
català: Mercenari
čeština: Žoldnéř
Cymraeg: Hurfilwr
dansk: Lejesoldat
Deutsch: Söldner
Ελληνικά: Μισθοφόρος
English: Mercenary
Esperanto: Soldulo
español: Mercenario
euskara: Mertzenario
فارسی: مزدور
français: Mercenaire
Frysk: Hierling
galego: Mercenario
עברית: שכיר חרב
hrvatski: Plaćenici
magyar: Zsoldos
Bahasa Indonesia: Tentara bayaran
italiano: Mercenario
日本語: 傭兵
Basa Jawa: Wadya Bayaran
한국어: 용병
lietuvių: Samdinys
Bahasa Melayu: Tentera upahan
Nederlands: Huursoldaat
norsk nynorsk: Leigesoldat
norsk: Leiesoldat
occitan: Mercenari
română: Mercenar
русский: Наёмник
Scots: Mercenar
srpskohrvatski / српскохрватски: Najamnik
Simple English: Mercenary
slovenčina: Žoldnier
slovenščina: Najemnik
српски / srpski: Najamnik
svenska: Legosoldat
Kiswahili: Mamluki
Türkçe: Paralı asker
українська: Найманець
Tiếng Việt: Lính đánh thuê
ייִדיש: שכיר חרב
中文: 僱傭兵
粵語: 僱傭兵