Marco Terêncio Varrão

Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde Fevereiro de 2011). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com o cônsul romano de 73 a.C., Marco Terêncio Varrão Lúculo.

Marco Terêncio Varrão (em latim Marcus Terentius Varro; Rieti, península Itálica, 116 a.C.27 a.C.), filósofo e antiquário romano de expressão latina. Estudou em Roma.

De suas estimadas quinhentas obras, salvaram-se apenas uma completa: De re rustica (Das coisas do campo), e outra incompleta: De lingua Latina (Sobre a língua latina). Sua obra foi usada como material de pesquisa por diversos eruditos posteriores, incluindo Mário Sérvio Honorato, Aulo Gélio, Macróbio, Solino e Plínio, o Velho.

O pensamento de Varrão é mais conhecido através de Cícero. E é possível encontrar também algo em Santo Agostinho[1].

Talvez nada houvesse de original em Varrão, exercendo sua pessoa apenas a função de transportar, como Cícero, a filosofia grega para o mundo latino.

Teologia natural

Autor de Antiquitates rerum humanarum et divinarum, no qual distingue três gêneros de teologia: a "mítica", narrada por poetas; a "política", relativa às instituições e cultos do Estado; e a "natural", sobre a natureza do divino tal como se manifesta na natureza da realidade.

En otros idiomas
euskara: Varron
furlan: Varon
Bahasa Indonesia: Marcus Terentius Varro
íslenska: Varró
srpskohrvatski / српскохрватски: Marko Terencije Varon
shqip: Varroni
Türkmençe: Mark Terensi Waro