José Juan Tablada

O escritor e jornalista José Juan Tablada.

José Juan Tablada ( Cidade do México, México, 3 de abril de 1871 - Nova Iorque, Estados Unidos, 2 de agosto de 1945) foi um poeta, jornalista e diplomata mexicano, vinculado ao modernismo de língua castelhana, com algumas características vanguardistas em sua poesia.

Estudos e Vida profissional

Estudou no Heroico Colegio Militar no Castillo de Chapultepec. Continuou seus estudos na Escuela Nacional Preparatoria, onde aprendeu pintura, da qual foi um aficionado. Trabalhou como empregado administrativo de ferrovias e conheceu desde criança a um poeta cego conhecido como Manuel M. Flores [1].

Em 1890, com 19 anos, começou a colaborar no jornal El Universal com poemas e crônicas dominicais na seção chamada Rostros y máscaras (Rostos e máscaras). Colaborou também para El Mundo Ilustrado , Revista de Revistas, Excélsior, e Universal Ilustrado. Trabalhou também para jornais de Caracas, Bogotá, Havana y Nova Iorque. Escreveu para revistas literárias como a Revista Azul, a Revista Moderna, La Falange, El Maestro. Foi fundador da revista Mexican Art and Life.

En 1894 publicou na Revista Azul, o poema "Ónix" o qual lhe tornou um autor de prestígio. Seu primeiro livro de poesía El florilegio foi publicado em 1899. Como Modernista hispano-americano em sua primeira etapa, defendeu esta corrente na Revista Moderna, na qual publicou e traduziu artigos entre 1889 e 1911.

En otros idiomas