Itamar Franco
English: Itamar Franco

Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser acadêmico)
Itamar Franco
Itamar Franco
33º Presidente do Brasil
Período29 de dezembro de 1992
a 1º de janeiro de 1995[nota 1]
AntecessorFernando Collor de Mello
SucessorFernando Henrique Cardoso
21º Vice-presidente do Brasil
Período15 de março de 1990
a 29 de dezembro de 1992
PresidenteFernando Collor de Mello
AntecessorJosé Sarney
SucessorMarco Maciel
Senador por Minas Gerais
Período1º de fevereiro de 2011
a 2 de julho de 2011
Período1º de fevereiro de 1975
a 15 de março de 1990
35Governador de Minas Gerais
Período1º de janeiro de 1999
a 1º de janeiro de 2003
Vice-governador(a)Newton Cardoso
AntecessorEduardo Azeredo
SucessorAécio Neves
18.º Prefeito de Juiz de Fora
Período31 de janeiro de 1973
a 15 de maio de 1974
AntecessorAgostinho Pestana
SucessorSaulo Moreira
16.º Prefeito de Juiz de Fora
Período31 de janeiro de 1967
a 31 de janeiro de 1971
AntecessorAdemar Resende de Andrade
SucessorAgostinho Pestana
Dados pessoais
Nome completoItamar Augusto Cautiero Franco
Nascimento28 de junho de 1930
Mar territorial brasileiro[nota 2]
Morte2 de julho de 2011 (81 anos)
São Paulo, São Paulo,[1][2]
Brasil
Nacionalidadebrasileiro
ProgenitoresMãe: Itália América di Lucca Cautiero (1901–1992)
Pai: Augusto César Stiebler Franco (1898–1929)
Alma materEscola de Engenharia de Juiz de Fora
CônjugeAna Elisa Surerus (1968–1971)
FilhosGeorgiana
Fabiana [5]
PartidoPPS (2009 – 2011)
PMDB (1992 – 2009)
PRN (1989 – 1992)
PL (1986 – 1989)
MDB (1964 – 1986)
PTB (1955 – 1964)
Profissãoengenheiro
AssinaturaAssinatura de Itamar Franco
Serviço militar
LealdadeBrasil
Serviço/ramoExército Brasileiro
GraduaçãoAspirante.png Aspirante a oficial

Itamar Augusto Cautiero Franco GCC (Mar territorial brasileiro[nota 2], 28 de junho de 1930São Paulo, 2 de julho de 2011) foi um engenheiro, militar e político brasileiro.[4] Foi o 33.º presidente da República, tendo governado entre 1992 e 1995 após seu antecessor, Fernando Collor, ter sido afastado da presidência por um processo de impeachment. Foi também senador por Minas Gerais por dois mandatos e governador do estado de Minas Gerais.

Bacharelou-se em engenharia na Escola de Engenharia de Juiz de Fora em 1954.[4] Ingressou na carreira política em 1958 quando, filiado ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), foi candidato a vereador de Juiz de Fora e, posteriormente, em 1962, a vice-prefeito, não obtendo êxito em ambas as tentativas. Com o início do Regime Militar no Brasil, filiou-se ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), sendo prefeito de Juiz de Fora de 1967 a 1971 e reeleito em 1972, quando dois anos depois, renunciou ao cargo para candidatar-se, com sucesso, ao Senado Federal por Minas Gerais, em 1975. Ganhou influência no MDB, assim sendo eleito vice-líder do partido em 1976 e 1977. No início da década de 1980, com o pluripartidarismo restabelecido no país, filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), o sucessor do MDB. Em 1982, foi eleito senador novamente, defendendo as campanhas das Diretas já, e votando no candidato oposicionista Tancredo Neves para presidente na eleição presidencial brasileira de 1985.[2] Migrou para o Partido Liberal (PL) em 1986, ano em que concorreu ao governo de Minas Gerais, mas foi derrotado, voltando ao Senado.

Em 1988, uniu-se ao governador de Alagoas Fernando Collor de Mello para lançar uma candidatura à Presidência e Vice-presidência do Brasil, pelo Partido da Reconstrução Nacional (PRN). Itamar, como Vice-presidente, divergia em diversos aspectos da política econômico-financeira adotada por Collor, vindo a retirar-se do PRN no início de 1992. Seguindo o impeachment do presidente, assumiu interinamente o papel de chefe de Estado e chefe de governo em 2 de outubro de 1992 e o papel de Presidente da República em 29 de dezembro daquele ano. Durante seu governo realizou‐se um plebiscito sobre a forma de governo do Brasil; o resultado foi a permanência da República presidencialista no Brasil. Durante seu mandato, foi implantado o Plano Real.

Opondo-se fortemente a seu sucessor, Itamar filiou-se ao PMDB em 26 de setembro de 1997, cogitando candidatar-se a Presidente em 1998, mas não prosseguiu com a ideia e elegeu-se facilmente Governador de Minas Gerais em 1998. No ano seguinte, deixou mais uma vez o PMDB, para o qual retornaria em 2001. Em 2002, novamente desfiliou-se do PMDB e apoiou a candidatura de Luís Inácio Lula da Silva, opondo-se à candidatura de José Serra, candidato apoiado por Fernando Henrique. Não tentou reeleição no estado de Minas Gerais. Em 2003, saiu novamente do PMDB para voltar em 2006, ano em que se lançou pré-candidato à presidência pelo partido, mas perdeu para Anthony Garotinho, tentando então para o Senado, perdendo a candidatura para Newton Cardoso. Em maio de 2009, filiou-se ao Partido Popular Socialista (PPS) e em 2010 elegeu-se novamente para o Senado. Itamar Franco faleceu aos 81 anos de idade, em 2011.

Origem e formação

Itamar Franco nasceu no mar territorial brasileiro a bordo de um navio de cabotagem que fazia a rota Salvador–Rio de Janeiro, porém as coordenadas exatas do nascimento são desconhecidas.[6] Foi registrado em Salvador em 28 de junho de 1930.[1]

Oriundo de uma família de Minas Gerais, Itamar Franco foi o filho caçula de Augusto César Stiebler Franco (1898–1929), falecido pouco antes de seu nascimento, e Itália América di Lucca Cautiero (1901–1992). Seus avós paternos eram Arquimedes Pedreira Franco (bacharel em direito) e Mathilde Stiebler, alemã de Hamburgo; seus avós maternos eram Pasquale Cautiero e Raffaela di Lucca, ambos italianos.[7]

Criado na cidade de Juiz de Fora, em 1948 concluiu o curso científico, atual ensino médio, no Instituto Granbery e no ano seguinte tornou-se aspirante a oficial da reserva do Exército, na 4.ª Região Militar, então com sede em Juiz de Fora. Graduou-se em engenharia em 1954, na Escola de Engenharia de Juiz de Fora e no ano seguinte ingressou na carreira política, quando filiou-se ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Em 1958, candidatou-se a vereador de Juiz de Fora, mas não conseguiu se eleger.[4]

En otros idiomas
aragonés: Itamar Franco
asturianu: Itamar Franco
беларуская: Ітамар Франку
български: Итамар Франку
català: Itamar Franco
čeština: Itamar Franco
Cymraeg: Itamar Franco
Deutsch: Itamar Franco
English: Itamar Franco
Esperanto: Itamar Franco
español: Itamar Franco
euskara: Itamar Franco
français: Itamar Franco
Bahasa Indonesia: Itamar Franco
íslenska: Itamar Franco
latviešu: Itamars Franku
مازِرونی: ایتامار فرانکو
Nederlands: Itamar Franco
occitan: Itamar Franco
Simple English: Itamar Franco
svenska: Itamar Franco
Türkçe: Itamar Franco
українська: Ітамар Франко
oʻzbekcha/ўзбекча: Itamar Franco
Tiếng Việt: Itamar Franco
Yorùbá: Itamar Franco