Instituto Cervantes

Instituto Cervantes
Logo do Instituto.
Fundação21 de março de 1991 (27 anos)
TipoÓrgão público
PropósitoEstudo e preservação da língua espanhola.
SedeEdifício das Cariátides, Calle de Alcalá, 49, Madrid
Espanha Reino de Espanha
Línguas oficiaisEspanhol
FiliaçãoMinistério de Assuntos Exteriores, União Europeia e Cooperação
DiretorVíctor García de la Concha
OrganizaçãoRafael Rodríguez-Ponga (secretário-geral)
S.M. Juan Carlos I
(presidente de honra)
Sítio oficialwww.cervantes.es
Sede do Instituto na Calle de Alcalá de Madri

O Instituto Cervantes é uma instituição cultural pública criada em 11 de maio de 1990 pelo conselho de ministros,[1] dependente do Ministério de Assuntos Exteriores da Espanha.

Sua tarefa é a promoção e ensino da língua espanhola, assim como a difusão da cultura da Espanha e da América Hispânica. O Instituto Cervantes tem o nome do escritor Miguel de Cervantes.

Suas sedes centrais estão em Madri, no edifício da Calle de Alcalá, antiga sede do Banco Central Espanhol[2] (desenho de Antonio Palacios, em 1910)[3] e na rua de livreiros de Alcalá de Henares, lugar do nascimento do escritor Miguel de Cervantes.

Atualmente, o diretor do Instituto Cervantes é Víctor García de la Concha(no cargo desde 27 de janeiro de 2012) e seu secretário geral é, desde 14 de abril de 2012, Rafael Rodríguez-Ponga.

Objetivos e funções[4]

Os objetivos do Instituto Cervantes são, segundo o artigo 3 da Lei 7/1991, de 21 de março, os seguintes:

  1. Promover universalmente o ensino, o estudo e o uso do espanhol e fomentar medidas e ações que contribuam para a difusão e melhora da qualidade destas atividades.
  2. Contribuir para a difusão da cultura no exterior em coordenação com os demais órgãos competentes da administração do Estado.

Ele se encarga de:

En otros idiomas