Humaitá (bairro do Rio de Janeiro)

Humaitá
  Bairro do Brasil  
Vista do Humaitá. Ao fundo, o Corcovado.
Vista do Humaitá. Ao fundo, o Corcovado.
Humaitá.svg
DistritoZona Sul
Criado em23 de julho de 1981 (decreto de criação)
Área
- Total105,45 ha (em 2003)[1]
População
 - Total13 285 (em 2 010)[1]
- IDH0,959[1](em 2000)
Domicílios6 546 (em 2010)
LimitesBotafogo, Jardim Botânico, Lagoa,
Alto da Boa Vista, Copacabana e
Santa Teresa [1]
SubprefeituraZona Sul
Fonte: Não disponível

Humaitá é um bairro da Zona Sul do município do Rio de Janeiro, que faz limite com os bairros de Botafogo, Jardim Botânico, Lagoa, Alto da Boa Vista, Copacabana e Santa Teresa (esses três últimos apenas por montanhas florestais, sem acesso viário ou para pedestre) .[2] Seu IDH, no ano 2000, era de 0,959, o sétimo melhor do município do Rio de Janeiro.[3]

História

Antigas residências do bairro.

O nome do bairro é oriundo da Rua Humaitá, principal via do bairro. A rua recebeu esse nome por homenagear os seis monitores que, na operação Passagem de Humaitá, ocorrida no contexto da Guerra do Paraguai, obtiveram êxito em ultrapassar a Fortaleza de Humaitá.[4]

No começo da colonização os índios chamavam a atual área do bairro de Itaóca, devido a uma gruta existente na atual rua Icatu.[5]

Tempos depois a grande parte área pertencia a Clemente José Martins de Matos, Vigário-Geral do bispado. O proprietário constrói uma capela em 1657, e depois abre um acesso à capela que seria dedicada a São Clemente. Atualmente o caminho corresponde à Rua São Clemente.[6]

No século XIX a região se destacava pela produção de peças de cerâmica e em 1825 Joaquim Marques Batista de Leão, adquiriu a fazenda da olaria, loteando-a mais tarde. Seus herdeiros doaram diversas propriedades à Câmara em 1853. As outras fazendas e chácaras da região foram loteadas também surgindo ruas e o bairro.[6]

No ano de 1904, um grupo de adolescentes fundou, em um casarão situado no Largo dos Leões, o Electro Club, que dias depois tornaria-se Botafogo Football Club e, 38 anos depois, Botafogo de Futebol e Regatas.[7]

Já na década de 1960 houve a remoção da favela Macedo Sobrinho, sendo criado o Parque Natural Municipal da Saudade, além do alargamento da rua e do largo do Humaitá, estabelecendo uma melhor ligação com a Lagoa.[6]

As ruas do bairro têm como plano de fundo a Floresta da Tijuca e o Corcovado.