Helena Morley

Alice Dayrell Caldeira Brant
Nascimento28 de agosto de 1880
Diamantina,  Minas Gerais, Brasil
Morte20 de junho de 1970 (90 anos)
Rio de Janeiro,  Rio de Janeiro, Brasil
Gênero literáriodiário
Serviço militar
País Brasil

Helena Morley (pseudônimo de Alice Dayrell Caldeira Brant; Diamantina, 28 de agosto de 1880Rio de Janeiro, 20 de junho de 1970) foi uma escritora brasileira.[1], mantinha um diário, que descreve a vida em Diamantina, Minas Gerais, que foi então publicado em 1942. O diário foi publicado sob o pseudônimo de Helena Morley. Quando foi originalmente publicado foi em português sob o título Minha Vida de Menina. O diário foi então traduzido para o inglês por Elizabeth Bishop em 1957.

Filha de pai inglês e de mãe mineira, escreveu entre 1893 e 1895 – entre seus 13 e 15 anos – um diário. Nele, descrevia sua vida na cidade de Diamantina, Minas Gerais.[2]

Alice estudou na Escola Normal e casou-se, em 1900, com Augusto Mário Caldeira Brant, com quem teve cinco filhos.[3] Seu diário transformou-se no livro Minha Vida de Menina, lançado em 1942, quando a escritora estava com 62 anos de idade. A obra foi traduzida em inglês (por Elizabeth Bishop)[2] e em francês.

Biografia

Alice Dayrell nasceu em Diamantina, Minas Gerais ,em 28 de agosto de 1880, filha de pai inglês e mãe brasileira. Seu pai trabalhava como minerador de diamantes. O diário narra a vida diária de Brant e cobre sua adolescência até 1895.

Em 1900, Brant casou-se com seu primo, Augusto Mário Calderia Brant e tiveram cinco filhos juntos. Brant diz que ela publicou seus diários para agir como um modelo para as mulheres mais jovens que podem ler o livro. Ela escreveu que o diário era uma maneira de mostrar às jovens o que se tornar um adulto significa, e desta forma ela está agindo como uma avó para o leitor. Uma de suas filhas, Ignez Caldeira Brant, casou-se com Abgar Renault, do Ministério da Educação (Brasil) (1955-1956) e do Tribunal de Contas da União (1967-1973) [4].

En otros idiomas