Guilherme Ernesto, Duque de Saxe-Weimar

Guilherme Ernesto
Duque de Saxe-Weimar
Duque de Saxe-Weimar
Reinado15 de maio de 1683
a 26 de agosto de 1728
Antecessor(a)João Ernesto II, Duque de Saxe-Weimar
Sucessor(a)Ernesto Augusto I, Duque de Saxe-Weimar-Eisenach
 
EsposaCarlota Maria de Saxe-Jena
CasaWettin
Nascimento19 de outubro de 1662
 Weimar, Ducado de Saxe-Weimar, Sacro Império Romano-Germânico
Morte26 de agosto de 1728 (65 anos)
 Weimar, Ducado de Saxe-Weimar, Sacro Império Romano-Germânico
PaiJoão Ernesto II, Duque de Saxe-Weimar
MãeCristina Isabel de Schleswig-Holstein-Sonderburg

Guilherme Ernesto, Duque de Saxe-Weimar (19 de Outubro de 166226 de Agosto de 1728) foi um duque de Saxe-Weimar.

Vida

Guilherme Ernesto, Duque de Saxe-Weimar

Nascido em Weimar, era o filho mais velho de João Ernesto II, Duque de Saxe-Weimar e da princesa Cristina Isabel de Schleswig-Holstein-Sonderburg.

Quando o pai morreu em 1683, Guilherme Ernesto sucedeu-o como duque; no entanto, segundo as leis da Casa de Wettin, teve de governar em conjunto com o seu irmão mais novo, João Ernesto III.

Uma vez que João Ernesto III era alcoólico, Guilherme Ernesto assumiu controlo total do governo do ducado e deu ao irmão o título honorário de co-duque (Mitherr) até à sua morte em 1707. Após a morte de João Ernesto, Guilherme Ernesto nomeou o filho dele, Ernesto Augusto, co-duque, mas sem poderes.

Guilherme Ernesto era um luterano devoto e estabeleceu no seu ducado uma lei segundo a qual apenas os homens que lessem e tivessem uma opinião sobre obras teológicas poderiam servir nas forças armadas. O compositor Johann Sebastian Bach começou a trabalhar para o duque em 1708, primeiro como organista, depois como Konzertmeister (líder da orquestra) em Weimar. Quando Johann Samuel Drese morreu em 1716, Bach pediu para ocupar o seu posto de Kapellmeister (chefe do departamento de música da corte), mas Guilherme Ernesto decidiu contratar o filho incompetente de Drese. Furioso, Bach pediu para ser dispensado dos serviços do duque. Irritado com a impertinência de Bach, Guilherme Ernesto ordenou que este fosse preso durante quatro semanas numa fortaleza antes de o dispensar.