Final Fantasy VIII

Final Fantasy VIII
Desenvolvedora(s)SquareSoft
Publicadora(s)SquareSoft
Diretor(es)Yoshinori Kitase
Produtor(es)Shinji Hashimoto
Projetista(s)Yoshinori Kitase
Hiroyuki Ito
Escritor(es)Kazushige Nojima
Programador(es)Ken Narita
Artista(s)Yusuke Naora
Compositor(es)Nobuo Uematsu
Plataforma(s)PlayStation
Microsoft Windows
SérieFinal Fantasy
Data(s) de lançamentoPlayStation
  • JP 11 de fevereiro de 1999
  • AN 9 de setembro de 1999
  • EU 27 de outubro de 1999
  • AU 29 de outubro de 1999
Microsoft Windows
  • AN 25 de março de 2000
  • EU 18 de fevereiro de 2000
  • JP 23 de março de 2000
Gênero(s)RPG eletrônico
Modos de jogoUm jogador
Final Fantasy VII
Final Fantasy IX
Página oficial

Final Fantasy VIII (ファイナルファンタジーVIII, Fainaru Fantajī Eito?) é um jogo eletrônico de RPG desenvolvido e publicado pela SquareSoft em 1999, sendo o oitavo título principal da série Final Fantasy. O jogo foi o segundo da franquia a utilizar gráficos tridimensionais e o primeiro a consistentemente empregar personagens de proporções realistas, também introduzindo um novo sistema de mágica que removia a tradicional conjuração com pontos de magia. A história se passa em um mundo que mistura elementos de fantasia e ficção científica, seguindo um grupo de jovens mercenários liderados por Squall Leonhart e que trabalham para uma organização chamada SeeD. Eles inicialmente viajam por países diferentes perseguindo a feiticeira Edea, porém logo devem impedir que o futuro seja comprimido no tempo no chamado Ultimecia.

O desenvolvimento de Final Fantasy VIII começou em 1997, sendo dirigido por Yoshinori Kitase e produzido por Shinji Hashimoto. A trilha sonora original foi composta pelo veterano da franquia Nobuo Uematsu, sendo a primeira a empregar uma canção com letras: "Eyes on Me", interpretada por Faye Wong. O jogo foi bem recebido pela crítica, que elogiaram sua originalidade e escopo. Ele também foi um grande sucesso comercial, arrecadando cinquenta milhões de dólares em apenas treze semanas e se tornando o Final Fantasy mais rapidamente vendido da história até o lançamento de Final Fantasy XIII em 2009. Mundialmente, VIII já vendeu mais de 8,15 milhões de cópias.

Jogabilidade

À semelhança dos seus antecessores, em Final Fantasy VIII toma-se o controle de um grupo de um personagem, o qual se poderá deslocar livremente pelos cenários, como cidades e o próprio mundo. Em determinadas áreas, o jogador se depara-rá aleatoriamente com uma situação de batalha, onde terá de defrontar um ou mais inimigos. - O que ao decorrer do jogo pode ser impedido através do uso da Habilidade "EncNone" do GF DIablos

Deslocamento nos cenários

À semelhança do capítulo anterior, Final Fantasy VII, os cenários são pré-renderizados, implicando que o cenário apresenta um motor gráfico diferente do original processado pela máquina (e usado para modelar os personagens e objectos com que se interage). A principal diferença neste sector reside no facto de, pela primeira vez na série, estarem visíveis todos os membros da equipa, ao invés apenas do personagem principal (ou o primeiro membro). Recorrendo somente às teclas direccionais ou ao Analógico Esquerdo, é possível andar e correr livremente pelos cenários. Ao contrário dos RPG tradicionais, onde se obtém dinheiro através de batalhas ou exclusivamente da venda dos drops, no FF VIII era possível obter dinheiro apenas se deslocando (andando) pelo mapa, e ao contrario do que alguns pensavam não era por determinado período de tempo, mas por um número especifico de passos (24300 passos), então seu personagem recebia um salário que variava em função de um factor: o nível SeeD.

Batalha

Uma batalha em Final Fantasy VIII.

Uma vez desencadeada uma batalha, o mecanismo de controlo dos personagens é completamente remodelado, não sendo controláveis directamente, mas sim por intermédio de comandos específicos, como atacar e executar magias. Esta é, porém, a premissa base de muitos videojogos do género, estruturada por turnos, onde a cada um pode corresponder uma acção de um personagem.

Limit Breaks

Os personagens de Final Fantasy VIII utilizam ataques especiais chamados de "Limit Breaks", como em Final Fantasy VII. Embora o Limit Breaks no Final Fantasy VII são desencadeados após o jogador ter recebido danos suficiente, em Final Fantasy VIII, a disponibilidade de Limit Breaks depende se o estágio atual de saúde do personagem estiver em risco, sendo possível utilizar a opção Limit Break. A magia "spell Aura" aumenta a probabilidade dos Limit Breaks seja exibido independentemente de um personagem estiver a utilizar hits de pontos restante, enquanto vários estados podem prevenir enfermidades no Limit Breaks. Eles são semelhantes ao "Desperation Attacks" de Final Fantasy VI, em que são aleatoriamente desencadeado quando um personagem esta a beira da morte.

Final Fantasy VIII também introduziu elementos interativos para complementar os Limit Break com animações. Estas seqüências interativas, que variam entre personagem, arma, e a gama de Limit Break são selecionados aleatoriamente com magias e feitiços de precisão cronometrada pelos botões do controle. Concluir com sucesso uma seqüência interativa aumenta o resultado de ataque com grande potência.

En otros idiomas