Filipe III de Espanha

Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde março de 2014). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser acadêmico)
Filipe III
Rei da Espanha, Portugal e Algarves,
Nápoles, Sardenha e Sicília
Reinado13 de setembro de 1598
a 31 de março de 1621
Antecessor(a)Filipe II
Sucessor(a)Filipe IV
 
EsposaMargarida da Áustria
DescendênciaAna da Espanha
Filipe IV de Espanha
Maria Ana da Espanha
Carlos da Espanha
Fernando da Espanha
CasaHabsburgo
Nascimento14 de abril de 1578
 Madrid, Espanha
Morte31 de março de 1621 (42 anos)
 Madrid, Espanha
EnterroMosteiro e Sítio do Escorial, San Lorenzo de El Escorial, Espanha
PaiFilipe II de Espanha
MãeAna da Áustria
ReligiãoCatolicismo
AssinaturaAssinatura de Filipe III

Filipe III (Madrid, 14 de abril de 1578Madrid, 31 de março de 1621), também chamado de Filipe, o Piedoso, foi o Rei da Espanha e Portugal como Filipe II de 1598 até sua morte. Era filho do rei Filipe II de Espanha e sua quarta esposa Ana da Áustria.

Início de vida

Foi rei aos 20 anos, em 13 de setembro de 1598, e como Filipe II Rei de Nápoles, da Sicília, Rei titular de Jerusalém, Rei da Sardenha e Rei de Portugal. Foi ainda Duque de Milão, Conde de Artois, Conde da Borgonha, Conde de Charolais.

Segue um relato da morte do rei Filipe II, pai do rei Filipe III, na hora da morte: Filipe II, rei de Espanha, chamou seu filho (Filipe III) na hora da morte, e, depois de afastar a roupa, lhe mostrou o peito roído de vermes, dizendo: “Vê, príncipe, como se morre, e como se acabam as grandezas do mundo”. Depois exclamou: “Por que não fui eu, em vez de monarca, simples frade leigo de qualquer ordem?!” Mandou depois que lhe pusessem ao pescoço uma cruz de madeira; e, tendo disposto todas as coisas para sua morte, disse a seu herdeiro: “Quis, meu filho, que estivesses presente a este ato, para que visses como, no fim da vida, o mundo trata ainda os próprios reis. Sua morte é igual à dos mais pobres da terra. Aquele que melhor tiver vivido, esse é que achará junto de Deus mais alto favor.” E este mesmo filho, que foi depois Filipe III, ao morrer com apenas 43 anos de idade, disse: “Atendei, meus súbditos, a que no meu necrológio somente se fale do espetáculo que tendes presente. Dizei que na morte de nada serve o título de rei, a não ser para sentir-se maior tormento de o haver sido... Oxalá, em vez de ser rei, tivesse vivido em um deserto servindo a Deus!... Ir-me-ia agora apresentar com mais confiança entre seu tribunal, e não correria tamanho risco de me condenar!...” Relato retirado do livro "Preparação para morte", 13ª consideração, de Santo Afonso Maria de Ligório.

Nasceu no mesmo ano em que morreu seu irmão D. Fernando, sendo jurado herdeiro seu outro irmão, D. Diego. Último filho varão da quarta esposa do pai, ficou órfão de mãe aos dois anos. Quando em 1582 seu irmão Diego morreu, e foi jurado herdeiro, era enfermiço e débil[carece de fontes?]. Com ele, têm início os chamados «Áustrias Menores»: Filipe III, Filipe IV e Carlos II), os quais não puderam manter o poderio internacional alcançado por seus predecessores Carlos V e Felipe II, e começou a perda de territórios: as Províncias Unidas em 1621 (reconhecido oficialmente em 1648), Portugal e as suas colónias em 1640 (reconhecido em 1668), e em 1659 o Rossilhão e outras praças nos Países Baixos.

En otros idiomas
беларуская: Філіп III Іспанскі
български: Фелипе III
brezhoneg: Felipe III
eesti: Felipe III
Bahasa Indonesia: Felipe III dari Spanyol
한국어: 펠리페 3세
latviešu: Felipe III
македонски: Филип III (Шпанија)
srpskohrvatski / српскохрватски: Felipe III od Španije
српски / srpski: Филип III од Шпаније
Türkçe: III. Felipe
українська: Філіп III Побожний