Energia solar em Portugal

Carta da radiação solar em Portugal Continental

No seguimento da discussão sobre as alterações climáticas a União Europeia elaborou a iniciativa 20-20-20, que consiste em que a Europa tem de aumentar o peso das energias renováveis, reduzir as emissões de dióxido de carbono e melhorar a eficiência energética em 20%, até 2020. Para ajudar a cumprir essa meta, Portugal terá de aumentar a eletricidade produzida a partir de fontes renováveis dos 43% em 2008,[1]para 45% em 2010, e 59% em 2020.

Esse esforço passa pelo aumento do número de barragens, alcançando a potência total de 2800 MW em energia hídrica, aumentar a potência eólica para 8500 MW e a potência solar instalada dos 56,5 MW[1] para 700 MW.[2]

A capacidade instalada em energia fotovoltaica era de 56,5 MW em dezembro de 2008, tendo produzido 38,1 GWh de energia elétrica nesse ano (0,07% do consumo).[1]

Quanto ao aquecimento de água, estima-se que a área instalada de coletores solares rondasse os 390 mil metros quadrados no fim de 2008,[3] o que ainda está longe do milhão de metros quadrados pretendidos para o final de 2010.[4]

Central Fotovoltaica Hércules

Central Fotovoltaica Hércules.

Este Parque está localizado na freguesia de Brinches do concelho de Serpa, uma das zonas mais ensolaradas da Europa.

Uma área total de 64 hectares é coberta por 52 mil painéis fotovoltaicos de silício monocristalino de alto rendimento (14 a 18%), com a potência total de pico de 11 megawatts. Os painéis encontram-se 2 metros acima no solo, permitindo assim, que o terreno continue a servir para o pastoreio.

Este projeto tem a capacidade para fornecer energia elétrica a 8000 lares (21 GWh) e evitará a emissão de cerca de 19 mil toneladas de dióxido de carbono por ano. A sua construção foi iniciada em maio de 2006 e a inauguração a 28 de março de 2007.[5] As empresas proprietárias deste parque são a GE Energy Financial Services, a Powerlight Corporation e a portuguesa Catavento.[6]