Elitismo

  • elitismo ou oligarquismo (também conhecida como teoria das elites ou "teoria do poder") é uma vertente da ciência política baseada no princípio minoritário, segundo o qual o poder político está sempre nas mãos de uma minoria bem ajustada. segundo pareto, "é a democracia clássica é um ideal, uma utopia, que se encontra descrito na república de platão e aristóteles, seu discípulo". seu fundamento é o conceito de elite. elitista é, portanto, o sistema embasado no favorecimento de minorias, normalmente constituídas por membros da aristocracia ou de uma oligarquia, estabelecida na educação e bons costumes, segundo platão e aristóteles.

    o elitismo provém, não da prosperidade ou de funções sociais específicas, mas de um vasto e complexo educacional e cultural, corpo de símbolos, inclusive de condutas, estilos de vestimenta, sotaque, atividades recreativas, rituais, cerimônias e de um punhado de outras características. habilidades e aptidões que podem ser ensinadas são conscientes, enquanto o grande vulto de símbolos que forma o verdadeiro elitismo verdadeiro é considerado utópico como a própria república de platáo e aristóteles, não é deste mundo, portanto é inconsciente. [1]

    vilfredo pareto, gaetano mosca e robert michels são considerados como os fundadores da teoria das elites, sendo que v. pareto identifica mais como a "teoria do poder" e não das elites, vide obra com mais profundidade.outros autores, como wright mills, james burnham e robert putnam, também ofereceram contribuições relevantes ao estudo das elites.

    referências

  • ver também

Elitismo ou Oligarquismo (também conhecida como Teoria das Elites ou "Teoria do Poder") é uma vertente da ciência política baseada no princípio minoritário, segundo o qual o poder político está sempre nas mãos de uma minoria bem ajustada. Segundo Pareto, "é a democracia clássica é um ideal, uma utopia, que se encontra descrito na República de Platão e Aristóteles, seu discípulo". Seu fundamento é o conceito de elite. Elitista é, portanto, o sistema embasado no favorecimento de minorias, normalmente constituídas por membros da aristocracia ou de uma oligarquia, estabelecida na Educação e bons costumes, segundo Platão e Aristóteles.

O elitismo provém, não da prosperidade ou de funções sociais específicas, mas de um vasto e complexo educacional e cultural, corpo de símbolos, inclusive de condutas, estilos de vestimenta, sotaque, atividades recreativas, rituais, cerimônias e de um punhado de outras características. Habilidades e aptidões que podem ser ensinadas são conscientes, enquanto o grande vulto de símbolos que forma o verdadeiro elitismo verdadeiro é considerado utópico como a própria República de Platáo e Aristóteles, não é deste mundo, portanto é inconsciente. [1]

Vilfredo Pareto, Gaetano Mosca e Robert Michels são considerados como os fundadores da teoria das elites, sendo que V. Pareto identifica mais como a "Teoria do Poder" e não das elites, vide obra com mais profundidade.Outros autores, como Wright Mills, James Burnham e Robert Putnam, também ofereceram contribuições relevantes ao estudo das elites.

Referências

  1. Political Anthropology – An Introduction, Massachusetts: Bergin & Garvey Publishers, l983, pg. 112

En otros idiomas
العربية: نظرية النخبة
čeština: Teorie elit
English: Elite theory
español: Elitismo
မြန်မာဘာသာ: အီလစ်သီအိုရီ
Nederlands: Elitetheorie
polski: Teoria elit
русский: Теория элит
slovenčina: Teória elity
српски / srpski: Теорије елита
svenska: Elitteori
українська: Теорія еліт