Elgiva de Iorque

Elgiva de Iorque
Rainha consorte da Inglaterra
ReinadoAnos 980 — 1002
Antecessor(a)Elfrida
Sucessor(a)Ema
 
CônjugeEtelredo II
DescendênciaEtelstano Atelingo

Egberto
Edmundo Braço de Ferro
Edredo Atelingo
Eduíno Atelingo
Edgar
Edite, dama da Mércia
Elgiva, dama da Nortúmbria
Vulfilda, dama da Ânglia Oriental

Casada Saxônia Ocidental
Morte1002
PaiToredo
Iluminura de Etelredo II
Iluminura de Edmundo

Elgiva (em inglês antigo: Ælfgifu); fl. ca. 970 - 1002) foi a primeira esposa de Etelredo, o Despreparado (r. 968–1016) com que teve muitos filhos, incluindo Edmundo Braço de Ferro (r. 1016). Provavelmente era filha de Toredo, conde do sul da Nortúmbria.

Identidade e antecedentes

Seu nome e parentela não aparecem nas fontes até após a conquista normanda. O primeiro a dar informação, Sucardo, descreve-a meramente como "de estirpe inglesa muito nobre" (ex nobilioribus Anglis), sem nomeá-la,[1] enquanto no começo do século XII, Guilherme de Malmesbúria relata nada. Toda informação vem de dois historiadores anglo-normandos. João de Worcester, também escrevendo no século XII, afirma que a primeira esposa de Etelredo era Elgiva, filha do nobre Etelberto (comes Agelberhtus) e mãe de Edmundo, Etelstano, Eduíno e Edgida.[2] Escrevendo nos anos 1150, Elredo de Rievaulx identifica-a como filha do conde Toredo e a mãe de Edmundo, embora não forneça nome algum. Elredo era senescal na corte do rei Davi I da Escócia (r. 1124–1150), cuja mãe Margarida descendia do rei Etelredo e sua primeira esposa. Embora seu testemunho é tardio, sua proximidade à família real pode tê-lo dado acesso a informação genuína.[3]

Problema da paternidade

Os dois relatos são irreconciliáveis ao descrever dois pais diferentes à primeira esposa de Etelredo (em ambos, era mãe de Edmundo). Um meio de sanar a questão é pensar que houve duas esposas antes da chegada de Ema, a esposa normanda de Etelredo, mas a interpretação apresenta dificuldades, especialmente porque as fontes indicam apenas uma mulher.[4] Os historiadores consideram no geral que a visão dada por João de Worcester sobre seu pai era um erro, pois há suspeita da existência de Etelberto:[3][5][6] se o latim conde deve ser tido como glossa ao ofício de ealdorman, apenas duas referências duvidosas a um ou dois duques (ealdormen) de tal nome podem ser colocadas para se encaixar na descrição.[a] As evidências combinadas sugerem que a primeira esposa de Etelredo era Elgiva, filha de Toredo. Esse magnata provavelmente era o Toredo filho de Gunar e conde do sul da Nortúmbria.[7]

En otros idiomas