Dissidência

Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde março de 2016). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Para o contexto religioso, veja Cisma.

Em política, uma dissidência é o ato de discordar de uma política oficial,[1] de um poder instituído (ou constituído) ou de uma decisão coletiva. Os indivíduos e grupos que optam pela dissidência são denominados dissidentes.[1][2] O termo é aplicado particularmente às dissidências ocorridas em regimes autoritários e totalitários.[1]

Embora , o termo "dissidência" não é sinônimo para oposição, que denota um grupo maior e estável que discorda do poder estabelecido mas não o enfrenta com métodos ilegais nem se exclui. Em geral, dissidência é o nome dado a minorias que discordam do regime[1] e, muitas vezes, optam por se excluir do enfrentamento, abandonando o país e denunciando-o no exílio. O termo oposição também é preferido para regimes democráticos, enquanto dissidência é mais usado no caso de ditaduras.

A dissidência também ocorre em partidos políticos,[2] em clubes, em empresas, em religiões, como, por exemplo, nas igrejas, e etc. Um exemplo de dissidência religiosa ocorreu dentro da Igreja Universal do Reino de Deus: a partir dela, surgiu, em 1980, a Igreja Internacional da Graça de Deus, e, em 1998, a Igreja Mundial do Poder de Deus.

Dissidentes famosos

En otros idiomas
català: Dissidència
español: Disidencia
euskara: Disidentzia
français: Dissidence
galego: Disidencia