Der Hölle Rache kocht in meinem Herzen

Wolfgang Amadeus Mozart, por Johann Nepomuk della Croce, c. 1780.

Der Hölle Rache kocht in meinem Herzen (A vingança do inferno arde em meu coração, em alemão), comumente chamada apenas de "Der Hölle Rache", também referida como Ária da Rainha da Noite, é uma ária integrante da ópera Die Zauberflöte (A Flauta Mágica) de Wolfgang Amadeus Mozart. Considerada uma das mais famosas árias de ópera, faz parte do segundo ato da ópera e representa um acesso de fúria vingativa, em que a Rainha da Noite coloca uma faca na mão de sua filha Pamina e exorta-a a assassinar Sarastro, rival da Rainha.[1]





Música

Coloratura do início da primeira passagem

A ária foi escrita em ré menor, e está arranjada para pares de flautas, oboés, fagotes, trompas, trompetes, tímpanos e cordas (violinos, violas, violoncelos e contrabaixos), uma orquestra grande que inclui todos os músicos disponibilizados para a ópera, com exceção dos trombones.

Pode-se observar a semelhança entre a ária e o primeiro movimento (Allegro con moto) da Sinfonia n° 3 em dó maior, Op. 12, G 505, de Luigi Boccherini, também escrita para orquestra (dois violinos, viola, dois violoncelos, contrabaixo, duas flautas e duas trompas) em 1771, ou seja, vinte anos antes da estreia de A Flauta Mágica.[2][3]A influência de Boccherini, entre outros autores, sobre a obra de Mozart tem sido objeto de análise pela crítica especializada.[4][5][6]

A ária é famosa pela dificuldade: com sua extensão de duas oitavas, do 4 ao fá6, o que requer um soprano coloratura com tessitura extremamente ampla - do 4 ao 6.[7] Ademais, as exigências dramáticas do contexto - uma demanda de assassinato por vingança - acrescentam dificuldade à interpretação, tornando o papel acessível somente a vozes extrememente qualificadas.[8]

En otros idiomas