Constantinopla

Constantinopla
Bizâncio, Miklagard/Miklagarth,
Tsargrad, Basileuousa e Megalopolis

Κωνσταντινούπολις or Κωνσταντινούπολη (grego)
Constantinopolis (latim)
Vista aérea de Constantinopla bizantina e do Propontis (Mar de Mármara).
Byzantine Constantinople-pt.svg
Mapa da Constantinopla bizantina
Localização atual
Constantinopla está localizado em: Turquia
Constantinopla
Localização na Turquia.
Coordenadas41° 0' 33" N 28° 58' 33" E
País Turquia
RegiãoTrácia
Dados históricos
Fundação11 de maio de 330
ImpérioImpério Romano do Oriente (Império Bizantino)

Constantinopla (em grego: Κωνσταντινούπολις; transl.: Konstantinoúpolis , lit. "cidade de Constantino", em latim: Constantinopolis, em turco otomano formal: قسطنطينيه , Kostantiniyye), atual Istambul, foi a capital do Império Romano (330–395), do Império Bizantino (ou Império Romano do Oriente) (395–1204 e 1261–1453), do Império Latino (1204–1261) e, após a tomada pelos turcos, do Império Otomano (1453–1922). Estrategicamente localizada entre o Corno de Ouro e o Mar de Mármara no ponto em que a Europa encontra a Ásia, a Constantinopla Bizantina havia sido a capital da Cristandade, sucessora das antigas Grécia e Roma. No decorrer da Idade Média, Constantinopla foi a maior e mais rica cidade da Europa.[1]

Desde meados do século V até o início do XIII, Constantinopla era a maior e mais rica cidade da Europa[2] e foi fundamental no avanço do cristianismo durante os tempos romanos e bizantinos como o lar do patriarca ecumênico de Constantinopla e como o Guardião das relíquias mais sagradas da cristandade, como a Coroa de Espinhos e a Verdadeira Cruz.

A cidade também era famosa por suas obras-primas arquitetônicas, como a catedral ortodoxa grega de Santa Sofia, que servia de sede do Patriarcado Ecumênico, o Palácio Imperial sagrado onde moravam os Imperadores, a Torre de Gálata, o Hipódromo, o Portão de Ouro das Muralhas de Constantinopla e os opulentos palácios aristocráticos que alinhavam-se entre avenidas. A Universidade de Constantinopla foi fundada no século V e continha inúmeros tesouros artísticos e literários antes de ser saqueada em 1204 e 1453, incluindo a sua vasta Biblioteca Imperial que continha os restos da Biblioteca de Alexandria e tinha mais de 100 mil volumes de textos da Antiguidade.[3]

Constantinopla era famosa por suas defesas maciças e complexas. O primeiro muro da cidade foi erguido por Constantino e cercava a cidade por todos os lados. Mais tarde, no século V, o prefeito pretoriano Antêmio, sob o imperador Teodósio II (r. 408–450), empreendeu a construção das muralhas teodosianas, que consistiam em uma parede dupla a cerca de 2 km ao oeste da primeira muralha e um fosso com estacas na frente.[4] Este formidável complexo de defesas foi um dos mais sofisticados da Antiguidade e a posição da cidade, construída intencionalmente em sete colinas, bem como na justaposição entre o Chifre de Ouro e o Mar de Mármara, a tornava uma fortaleza inexpugnável que protegia magníficos palácios, cúpulas e torres entre dois continentes (Europa e Ásia) e dois mares (o Mediterrâneo e o Mar Negro).

Etimologia

O nome da cidade é uma referência ao imperador romano Constantino que tornou esta cidade a capital do Império Romano em 11 de maio do ano 330. Dependendo de seus governantes, teve diferentes nomes no decorrer do tempo. Entre os mais comuns estão: Bizâncio (em grego: Βυζάντιον, transl.: Byzántion); Nova Roma (em grego: Νέα Ῥώμη, transl.: Néa Rhōmē); Constantinopla; Kostantiniyye e Istambul. Ela foi também chamada de Tsargrado ("Cidade dos Imperadores") pelos eslavos, enquanto que para os viquingues era conhecida como Miklagård, "a Grande Cidade", semelhante ao nome com que também era chamada pelos gregos: "a Cidade" (ἡ Πόλις, hē Pólis).

O nome Istambul, que se supõe derivar da expressão grega "para a Cidade" ou "na Cidade" (em grego antigo εἰς τήν Πόλιν, eis ten pólis), é usado na língua turca desde o século X, embora na maior parte dos casos as autoridades otomanas se referissem à cidade como Kostantiniyye. No entanto, havia, por exemplos alguns cargos oficiais em cujo nome aparecia Istambul — o comandante militar era o İstanbul ağası o grau mais elevado da magistratura civil era o İstanbul efendisi.[5] Em 1930, mediante a lei turca de serviço postal, parte das reformas nacionais do governo de Atatürk, a cidade foi definitivamente nomeada oficialmente como Istambul.

En otros idiomas
Afrikaans: Konstantinopel
العربية: القسطنطينية
asturianu: Constantinopla
azərbaycanca: Konstantinopol
беларуская: Канстанцінопаль
беларуская (тарашкевіца)‎: Канстантынопаль
български: Константинопол
brezhoneg: Kergustentin
bosanski: Konstantinopolj
čeština: Konstantinopol
Чӑвашла: Кустантин
Cymraeg: Caergystennin
ދިވެހިބަސް: ޤުޞްޠަންޠީނިއްޔާ
Esperanto: Konstantinopolo
español: Constantinopla
فارسی: قسطنطنیه
français: Constantinople
interlingua: Constantinopole
Bahasa Indonesia: Konstantinopel
italiano: Costantinopoli
la .lojban.: konstantinupolis
Lingua Franca Nova: Constantinopoli
Limburgs: Constantinopel
lumbaart: Costantinopel
latviešu: Konstantinopole
македонски: Цариград
Bahasa Melayu: Constantinople
Napulitano: Custantenobbule
Plattdüütsch: Konstantinopel
Nederlands: Constantinopel
norsk nynorsk: Konstantinopel
پنجابی: قسطنطنیہ
română: Constantinopol
srpskohrvatski / српскохрватски: Konstantinopolj
Simple English: Constantinople
slovenščina: Konstantinopel
српски / srpski: Константинопољ
Kiswahili: Konstantinopoli
ئۇيغۇرچە / Uyghurche: كونىستانتىنوپول
українська: Константинополь
Tiếng Việt: Constantinopolis
Bân-lâm-gú: Constantinopolis