Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde

A Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde (CID; em inglês: International Statistical Classification of Diseases and Related Health Problems, ICD) determina a classificação e codificação das doenças e uma ampla variedade de sinais, sintomas, achados anormais, denúncias, circunstâncias sociais e causas externas de danos e/ou doença.[1] Fornece códigos relativos à classificação de doenças e de uma grande variedade de sinais, sintomas, aspectos anormais, queixas, circunstâncias sociais e causas externas para ferimentos ou doenças. A cada estado de saúde é atribuída uma categoria única à qual corresponde um código, que contém até 6 caracteres. Tais categorias podem incluir um conjunto de doenças semelhantes.

A CID é publicada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e é usada globalmente para estatísticas de morbilidade e de (WHO-FIC).

A CID é revista periodicamente e encontra-se na sua décima edição (CID-10). Está prevista a substituição da CID-10 pela décima primeira edição (CID-11).[2][3] A CID-11[4] foi lançada em 18 de junho de 2018[5][6] A CID-11 será apresentada para adoção dos Estados Membros em maio de 2019 (durante a Assembleia Mundial da Saúde) deve entrar em vigor em 1º de janeiro de 2022.[7][6] A versão anterior, a CID-10, foi desenvolvida em 1993 para registar as estatísticas de mortalidade. Actualizações anuais (menores) e trianuais (maiores) são publicadas pela OMS.

História

A CID foi publicada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Ocupa-se a nível internacional para fins estatísticos relacionados com morbilidad e mortalidade, os sistemas de reintegro e suportes de decisão automática em medicina. Este sistema está desenhado para promover a comparação internacional da coleta, processamento, classificação e apresentação destas estatísticas. A CID é a classificação central da WHO Family of International Classifications (WHO-FIC) (em espanhol, a Família de Classificações Internacionais da OMS).[8]

A lista CID-10 tem sua origem na «Lista de causas de morte», cuja primeira edição realizou-a o Instituto Internacional de Estatística em 1893. A OMS fez-se cargo da mesma em 1948, na sexta edição, a primeira em incluir também causas de morbilidade. À data, a lista em vigor é a décima, e a OMS segue trabalhando nela.

A CID-10 desenvolveu-se em 1992 e seu propósito foi rastrear estatísticas de mortalidade. A OMS publica actualizações menores anuais e actualizações maiores a cada três anos. Em 18 de junho de 2018,[9] foi lançada pela OMS a CID-11, com aproximadamente 55 mil códigos únicos para lesões, doenças e causas de morte, que entrará em vigor em 1 de janeiro de 2022.[2][9]

Posteriormente, alguns países têm criado suas próprias extensões do código CID-10. Por exemplo, ««CIE-10-AM»». web.archive.org  em 1998; Canadá publicou a sua versão no ano ««CIE-10-CA».». web.archive.org  Alemanha também tem a sua própria extensão, a «CID-10-GM».

Nos E.U.A acrescentou-se o anexo com o sistema de classificação de procedimentos ou ICD-10-PCS.Apesar de que já utilizam o manual de procedimentos, Estados Unidos e Porto Rico se estão a preparar para a implementação do Sistema de Classificação de Doenças para começar em outubro de 2015.

En otros idiomas
suomi: ICD
Nordfriisk: ICD
עברית: ICD
Bahasa Indonesia: ICD
Basa Jawa: ICD
Bahasa Melayu: ICD
norsk nynorsk: ICD
srpskohrvatski / српскохрватски: Međunarodna klasifikacija bolesti
Simple English: ICD
svenska: ICD