Carvalho-português

Disambig grey.svg Nota: Se procura pela subespécie, veja Quercus faginea subsp. broteroi.
Disambig grey.svg Nota: Se procura pela subespécie, veja Quercus faginea subsp. faginea.
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre árvores pertencentes à espécie Quercus faginea. Para outras árvores do mesmo género, veja Carvalho. Para outros significados, veja Carvalho (desambiguação).
Como ler uma caixa taxonómicaCarvalho-português
Quercus faginea

Quercus faginea
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Fagales
Família: Fagaceae
Género: Quercus
Espécie: Q. faginea
Nome binomial
Quercus faginea

O carvalho-português, carvalho-cerquinho ou cerquinho (Quercus faginea) é uma árvore comum em Portugal.

O carvalho-português tem folhas marcescentes. Assim como os demais carvalhos, produz a bolota ou landra como fruto, que é usada como alimento por vários animais, como o javali, os esquilos, que muitas vezes as enterram e se esquecem, acabando por ser plantadores naturais da espécie, responsáveis em grande parte pela sua disseminação, onde se destaca o gaio, os humanos usavam-na na alimentação e ainda se faz pão, licores entre outras receitas. Existem três subspécies de Quercus faginea: O Carvalho-Cerquinho ou Português (Quercus faginea subsp.broteroi ), são árvores que atualmente predominam no Centro Oeste de Portugal, embora outrora a sua existência tenha sido mais vasta, indo até à Serra de Odemira. A subsp. alpestris ocorre apenas no Barrocal Algarvio. A subsp. faginea ocorre nos sobreirais transmontanos e altibeirenses (e.g. alguns mortórios no Douro) ou, bem mais raramente, na mesma região, como dominante em bosques secundários sobre rochas básicas. Não é certo que forme bosques estremes, pois encontra-se normalmente associada ao sobreiro, e estende-se para Espanha.

Distribuição em Portugal

O Carvalho Português é praticamente desconhecido por muitos Portugueses, dominava outrora carvalhais extensos e cerrados, que davam alimento e abrigo a uma miríade de seres vivos. Hoje, está reduzido a pequenos redutos na Serra da Arrábida, Serra de Montejunto, Serra de Sintra, Serra de Aire e Candeeiros, Sicó e Concelho de Alvaiázere, isoladamente ou em pequenos núcleos na zona Oeste de Portugal e muito raramente a Sul, na margem de ribeiras, em taludes e sebes vivas (taludes do IC20, margens de afluentes da lagoa de albufeira, Ribeira de Coina, Ribeira de Avis, estendendo-se até às serras do Cercal (daí o seu nome), São Luís e Odemira.

En otros idiomas
aragonés: Quercus faginea
العربية: سنديان زاني
azərbaycanca: Portuqaliya palıdı
čeština: Dub portugalský
Esperanto: Portugala kverko
español: Quercus faginea
euskara: Erkametz
français: Quercus faginea
kernowek: Quercus faginea
Nederlands: Portugese eik
Tiếng Việt: Quercus faginea