Botafogo
English: Botafogo

Disambig grey.svg Nota: Para a equipe de futebol carioca, veja Botafogo de Futebol e Regatas. Para outros significados, veja Botafogo (desambiguação).
Botafogo
  Bairro do Brasil  
Enseada de Botafogo. Ao fundo, o Pão de Açúcar.
Enseada de Botafogo. Ao fundo, o Pão de Açúcar.
Localização
Botafogo.svg
DistritoZona Sul
Características geográficas
Área total479,90 ha (em 2003)[1]
População total82 890 (em 2 010) hab.
 • Número de eleitores68 271
 • IDH0,952[2]muito alto
Outras informações
Domicílios33 165 (em 2010)
LimitesFlamengo, Laranjeiras, Cosme Velho, Santa Teresa, Humaitá, Lagoa, Copacabana, Leme e Urca[3]
SubprefeituraZona Sul
Fonte: Não disponível

Botafogo é um bairro da Zona Sul do município do Rio de Janeiro, no Brasil. Com quase 100 mil habitantes, o bairro é conhecido por abrigar um dos principais cartões-postais do país: a Enseada de Botafogo, com os morros do Pão de Açúcar e da Urca e o Aterro do Flamengo. ao fundo. Dentre as maiores atrações da enseada de Botafogo está o conhecido Iate Clube do Rio de Janeiro, cujo cais e marina se fazem visíveis de quase todos os pontos do bairro.

Apresenta cinemas, teatros, shoppings centers, boates, casas de shows, museus, centros empresariais, consulados, clínicas, hospitais e algumas preservadas mansões, do fim do século XIX e do início do século XX. É o bairro onde se localiza a sede de um dos principais clubes de futebol do Brasil, o Botafogo de Futebol e Regatas, na Rua General Severiano, e onde abrigou o seu primeiro campo, do Antigo Botafogo Futebol Clube na Rua Voluntários da Pátria. No bairro, estão localizados os consulados dos seguintes países: África do Sul, Argentina, Bélgica, China, Egito, Espanha, Holanda, Líbano, Noruega, Paraguai, Polônia, Portugal, República Dominicana, Uruguai e Venezuela.

E Botafogo tem sua escola de samba: a São Clemente. É conhecido no Rio de Janeiro como o bairro das escolas e das clínicas, devido ao grande número desses estabelecimentos na região. Muitas pessoas o definem como bairro de passagem, por se localizar entre o Centro e o resto da Zona Sul da cidade. E não é à toa que uma das principais vias é a Rua da Passagem. O bairro também é conhecido por manter uma alta expectativa de vida da população e um grande número de idosos.

História

"Enseada de Botafogo" (1869), por Nicolao Antonio Facchinetti. Acervo do Museu de Arte de São Paulo, em São Paulo

A história do bairro de Botafogo se confunde com a própria história da fundação da cidade do Rio de Janeiro, em 1565. O Rio de Janeiro começou no Morro Cara de Cão, onde hoje está localizada a Fortaleza de São João. Quatro meses depois da fundação, Estácio de Sá resolveu demarcar os limites da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro e doou, como era costume na época, a seu amigo Francisco Velho, que também tinha ajudado na fundação da cidade, a região em frente ao Morro Cara de Cão, do outro lado da atual Enseada de Botafogo. A região doada era a atualmente compreendida pelo bairro de Botafogo.[carece de fontes?]

Mas o bairro acabou sendo batizado em 1590, quando Antônio Francisco Velho vendeu suas terras para um amigo, João Pereira de Sousa, conhecido como "Botafogo", por ter sido chefe da artilharia do famoso galeão português Botafogo.[carece de fontes?]

Século XIX

Vista de Botafogo no século XIX.

Foi na primeira metade do século XIX que as ruas começaram a definir os contornos do bairro. A chegada a Família Real Portuguesa à cidade, em 1808, mudou a vida do Rio e, naturalmente, de Botafogo. De bairro rural, transformou-se no local preferido dos nobres e dos comerciantes ingleses, que construíam suas residências no local. Antes, Botafogo tinha apenas o Caminho do Berquó, hoje a Rua General Polidoro; o Caminho de Copacabana, atual Rua da Passagem; a Praia de Botafogo; e a Rua São Clemente, que cortava o bairro. Pouco a pouco, outras ruas começaram a surgir. O lugar mais nobre continuava sendo a Rua São Clemente, onde moravam todos os barões do café. Na Rua Voluntários da Pátria, estabeleciam-se os pequenos nobres e comerciantes. Posteriormente, nos idos de 1846, um sistema de barcas a vapor fazia a ligação entre Botafogo e o Cais Pharoux (atual Praça XV de Novembro).[carece de fontes?]

Na década de 1850, surgiram as ruas Dona Mariana, Sorocaba e Delfim, que, mais tarde, foi rebatizada de "Paulo Barreto" em homenagem ao verdadeiro nome do escritor João do Rio (João Paulo Emílio Cristóvão dos Santos Coelho Barreto). Havia ainda a rua do "lá vai um": a Rua Wenceslau Brás, chamada assim porque ficava justamente entre o Hospício Pedro II, onde hoje funciona a Universidade Federal do Rio de Janeiro e o Asilo Santa Teresa. Inaugurado em 1852, o Cemitério São João Batista é um marco na história do Rio de Janeiro. Foi um dos primeiros cemitérios sem distinção de classes. Jazem, ali, inúmeras personalidades brasileiras, como Tom Jobim, Carmen Miranda, Roberto Marinho, Machado de Assis, Santos Dumont, Heitor Villa-Lobos e Zuzu Angel. Em fins de 1860, o estabelecimento de linhas de bonde facilitou o acesso ao bairro, permitindo a urbanização. A partir dessa época, as imponentes chácaras passaram a conviver com sobrados de classe média e com cortiços populares. A Igreja da Imaculada Conceição do Sagrado Coração de Jesus, na Praia de Botafogo, foi erguida em 1892 com suas torres em estilo gótico, por sinal muito bem detalhado e moldado na época.[carece de fontes?]

Séculos XX e XXI

Enseada de Botafogo em 2013.

O primeiro colégio do bairro foi o da Imaculada Conceição, logo seguido pelo Colégio Santo Inácio, na Rua São Clemente e pelo Colégio Andrews, cuja antiga sede localizava-se na Praia de Botafogo, onde atualmente existe o Colégio PH.[carece de fontes?]

No início do século XX, quando da administração do prefeito Pereira Passos (1902-1906), a orla da praia recebeu os jardins da avenida Beira-Mar, estes tiveram projeto paisagístico do francês Paul Villon (Paulo Villon). Atualmente, as areias da praia servem de palco a shows e concertos, atraindo milhares de pessoas. A orla da praia é servida por uma ciclovia.[carece de fontes?]

Apesar de ser considerada um dos principais cartões-postais da cidade do Rio de Janeiro e estar ao lado de um dos principais ícones do Brasil, o Morro do Pão de Açúcar, a praia de Botafogo está altamente poluída, assim como a maior parte da Baía de Guanabara, estando entre as praias mais poluídas do estado do Rio de Janeiro.[carece de fontes?][4]

É também um dos cenários da série A Arma Escarlate, da autora brasileira Renata Ventura, publicada em 2011.

Enseada de Botafogo.
En otros idiomas
dansk: Botafogo
Deutsch: Botafogo
English: Botafogo
eesti: Botafogo
ქართული: ბოტაფოგო
македонски: Ботафого
norsk: Botafogo
română: Botafogo
русский: Ботафогу
Scots: Botafogo
srpskohrvatski / српскохрватски: Botafogo
српски / srpski: Ботафого (четврт)
svenska: Botafogo
Türkçe: Botafogo
中文: 博塔弗戈