Autobiography

Autobiography
Álbum de estúdio de Ashlee Simpson
Lançamento20 de Julho de 2004
GravaçãoHenson Recording Studio, Hollywood, Califórnia
Gênero(s)Pop rock, pop punk, garage rock, teen pop
Duração44:01
Gravadora(s)Geffen
ProduçãoJohn Shanks
Cronologia de Ashlee Simpson
I Am Me
(2005)
Singles de Autobiography
  1. "Pieces of Me"
    Lançamento: 29 de Junho de 2004
  2. "Shadow"
    Lançamento: 8 de Novembro de 2004
  3. "La La"
    Lançamento: 24 de Janeiro de 2005

Autobiography é o álbum de estreia da cantora de pop rock Ashlee Simpson, lançado nos Estados Unidos pela Geffen Records em 20 de Julho de 2004, o álbum estreou em #1 na Billboard 200 vendendo cerca de 398 mil cópias, e foi certificado platina tripla pela RIAA no país. Musicalmente, combina elementos de rock e pop. Autobiography já vendeu mais de cinco milhões de cópias em todo o mundo.

Antecedentes e produção

Simpson descreveu o processo de composição semelhante a manter um diário, e antes de lançamento do álbum nos EUA, ela disse que "Minha inspiração veio do que tenho passado nos últimos três anos. Todos os dias eu estava pensando no que eu estava passando e iria escrever canções sobre isso".[1] As letras tratam principalmente de amor e desgosto; em particular, muito do conteúdo lírico do álbum foi inspirado por rompimento de Simpson com seu namorado na época, Josh Henderson. Ela descreveu o álbum como sendo "muito honesto" e "muito fiel a minhas emoções". Eu não tinha medo de dizer que eu estava sofrendo e como eu superei isso"[2]. Simpson trabalhou em estreita colaboração com um número de compositores experientes no álbum. O produtor do álbum, John Shanks - que ganhou um Grammy em fevereiro de 2005[3]. Kara DioGuardi também recebeu créditos de composição, juntamente com Simpson e Shanks, em sete das canções, incluindo os três singles.[4]

O álbum incorpora o rock a elementos pop. Um crítico observou que, ao contrário de sua irmã -Jessica Simpson, Autobiography "conta com poderosos riffs de guitarra".[5] Em seu reality show, Simpson enfatizou que ela não queria fazer sua música como a maioria dos cantores pop, como sua irmã ou Hilary Duff; em vez disso, ela citou músicos como Chrissie Hynde e Joan Jett como influências.

Em uma entrevista de 2004, Simpson disse que, quando ela começou a procurar um contrato de gravação, as gravadoras não iriam encontrar-se com ela, porque eles achavam que ela só queria "ser como sua irmã". Simpson também disse que ela não queria entrar em negociações com a gravadora de Jessica, (Columbia), porque ela queria um contrato por conta de sua musica, em vez de conseguir ser contratada por influencias de sua irmã.[6] Ela acabou assinando com a Geffen em 2003.