Associação das Equipes da Fórmula 1

A Associação das Equipes da Fórmula 1 (FOTA) é um grupo de equipes da Fórmula 1 que foi formada em uma reunião em Maranello, em 29 de julho de 2008.[1] Essa organização tem o propósito de dar para as equipes uma só voz em suas negociações com a FIA em relação ao futuro da Fórmula 1. Encabeçada pelo presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo,[2] a primeira tarefa da FOTA foi negociar os termos do novo Pacto de Concórdia, o contrato comercial que rege o campeonato.

O grupo discutiu também a proposta da FIA sobre as regras para a temporada 2011. Ross Brawn, presidente da Brawn GP ofereceu seus serviços para coordenar essa atividade. Se as equipes não pudessem criar a sua proposta de outubro de 2008, a FIA imporia suas próprias regras para o campeonato.[3]

Impasse em 2009

Em 2009, ao fazer uma declaração à FIA para as equipes não competirem o próximo ano se não fosse aumentado o limite orçamentário, a equipe Williams fez-se omissa e assinou participação no próximo campeonato, sendo suspensa.[4] Force India também foi suspensa pela mesma razão.[5]

Depois de uma reunião realizada em 18 de junho de 2009 na sede da Renault, a FOTA decidiu criar uma nova categoria paralela à Fórmula 1.[6][7] Entretanto, em 24 de junho de 2009, a associação entrou em acordo com a FIA e decidiu-se que não mais haveria a criação de uma nova categoria.[8]