Antonio Quarracino

Antonio Quarracino
Cardeal da Santa Igreja Romana
Arcebispo Metropolitano de Buenos Aires

Título

Primaz da Argentina
Atividade Eclesiástica
DioceseArquidiocese de Buenos Aires
Nomeação10 de julho de 1990
Entrada solene22 de novembro de 1990
PredecessorDom Juan Carlos Aramburu
SucessorDom Jorge Mario Cardeal Bergoglio, S.J.
Mandato1990 - 1998
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral22 de dezembro de 1945
Luján
Nomeação episcopal3 de fevereiro de 1962
Ordenação episcopal8 de abril de 1962
Mercedes
por Dom Anunciado Serafini
Nomeado arcebispo18 de dezembro de 1985
Cardinalato
Criação28 de junho de 1991
por Papa João Paulo II
OrdemCardeal-presbítero
TítuloNossa Senhora da Saúde em Primavalle
Brasão
Coat of arms of Antonio Quarracino.svg
LemaIPSI GLORIA
Dados pessoais
NascimentoPollica
8 de agosto de 1923
MorteBuenos Aires
28 de fevereiro de 1998 (74 anos)
Funções exercidas- Bispo de Nueve de Julio (1962-1968)
- Bispo de Avellaneda (1968-1985)
- Arcebispo de La Plata (1985-1990)
SepultadoCatedral Metropolitana de Buenos Aires
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Antonio Quarracino (Pollica, 8 de agosto de 1923Buenos Aires, 28 de fevereiro de 1998) foi um sacerdote ítalo-argentino, cardeal da Igreja Católica Romana, arcebispo de Buenos Aires entre 1990 e 1998.

Biografia

Quarracino nasceu na província de Salerno, Itália. Sua família emigrou para a Argentina quando tinha quatro anos de idade. Quarracino foi ordenado sacerdote em 22 de dezembro de 1945 em Luján e tornou-se professor no Seminário Diocesano de Mercedes. Também ensinou teologia na Universidade Católica Argentina.[1]

Foi nomeado bispo de Nueve de Julio, em Buenos Aires, pelo Papa João XXIII em 3 de fevereiro de 1962, sendo consagrado em 8 de abril do mesmo ano, por Dom Anunciado Serafini, bispo de Mercedes, auxiliado por Dom Adolfo Servando Tortolo, bispo de Catamarca e por Dom Raúl Francisco Primatesta, bispo de San Rafael.[2] Ele foi um dos primeiros bispos de integrar e apoiar o Movimiento de Sacerdotes para el Tercer Mundo.[1] Em 3 de agosto de 1968 o Papa Paulo VI o transferiu para a Diocese de Avellaneda (cuja nova catedral foi construída durante seu bispado).[1]

João Paulo II promoveu-o a arcebispo metropolitano da Arquidiocese de La Plata em 18 de dezembro de 1985.[1] Foi transferido para a Arquidiocese de Buenos Aires em 10 de julho de 1990, assim tornou-se primaz da Argentina. Foi eleito para presidir a Conferência Episcopal da Argentina em novembro de 1990, e depois reeleito, até 1996.[1]

Quarracino foi criado cardeal-presbítero no consistório de 28 de junho de 1991 pelo Papa João Paulo II, recebendo o título de Nossa Senhora da Saúde em Primavalle e seu barrete cardinalício nessa mesma data.[1] Em 14 de abril de 1997, ele inaugurou o Mural Comemorativo às vítimas do Holocausto e aos mortos na embaixada de Israel em Buenos Aires e os ataques à Asociación Mutual Israelita Argentina, o único memorial em todo o mundo com essas características localizadas dentro de um templo cristão.[1]

Quarracino morreu em 28 de fevereiro de 1998, aos 74 anos de idade, devido a uma parada cardíaca. O funeral teve lugar na Catedral Metropolitana de Buenos Aires em 4 de março, presidida por Dom Jorge Mario Bergoglio, arcebispo de Buenos Aires, e concelebrada por dois cardeais, 80 bispos e 400 sacerdotes. Foi enterrado na capela de Nossa Senhora de Carmem, em frente ao altar de Nossa Senhora de Luján, na catedral metropolitana de Buenos Aires.[3]

Referências

  1. a b c d e f g The Cardinals of the Holy Roman Church
  2. Catholic Hierarchy
  3. Recuerdo del cardenal Quarracino (em castelhano) por Norberto Padilla, Criterio, Nº 2212, Marzo 1998